Palmeiras perde para o Atlético-MG em BH

Por Fabian Chacur

Com gols sofridos na parte final das duas etapas, o Palmeiras perdeu na noite deste domingo (10) do Atlético-MG no estádio do Horto pelo placar de 2 a 1. O empate poderia ter sido obtido, mas o time da casa soube aproveitar melhor nossas falhas. A situação alviverde no Brasileirão vai piorando a olhos vistos, com apenas 14 rodadas.

A partida começou de forma bastante franca, com os dois times atacando bastante e contando com a fraca marcação geral, além de uma tonelada de passes errados. Wesley, um dos campeões nesse setor, perdeu boa oportunidade aos 4 minutos após um bom contra-ataque alviverde.

Diego Tardelli teve seu primeiro bom momento na partida em bela cobrança de falta aos 6 minutos que passou perto da meta de Fábio. Aos 8 minutos, Weldinho chutou forte e Vitor teve de se virar para espalmar, sendo que o rebote acabou não sendo aproveitado pelos atacantes do Verdão.

Graças a uma incrível escorregada de Tobio, Jô ficou livre aos 17 minutos, mas felizmente chutou para longe. Aos 21 minutos, mais uma vez Diego Tardelli apareceu com destaque, mandando uma bomba que Fábio mandou para escanteio com muita categoria aos 21 minutos.

A partir daí, o jogo perdeu em precisão, com várias jogadas nunca se completando graças à ineficiência dos passes. Quando parecia que a etapa inicial acabaria no zero, Diego Tardelli mandou uma bomba da entrada da área, sem dar a menor chance a Fábio. 1 a 0 Atlético-MG, aos 44 minutos. Um castigo daqueles para o Palmeiras.

Aos 8 minutos da etapa final, surge a esperança. Em cobrança de escanteio feita por Allione, há um desvio de cabeça e Henrique finaliza, empatando a partida. Logo a seguir, entra Pablo Mouche na vaga do só para variar inoperante Leandro. Aos 13 minutos, os dois times perdem gols incríveis, o Atlético-MG com Jô e o Palmeiras logo a seguir com Henrique.

Aos 19 minutos, Tobio empurra de forma estabanada Luan na área, mas o juiz felizmente não marca o claro pênalti. Dátolo cobra falta e Fábio faz grande defesa aos 21 minutos. Com a saída de Wesley aos 21 minutos, dando sua vaga a Josimar, o Palmeiras equilibra a partida.

O problema é que o time não consegue aproveitar as oportunidades de contra-ataques proporcionadas pelo time da casa. Dessa forma, o jogo vai passando, e Fábio novamente evita o segundo gol do Galo, em chute de Dátolo aos 38 minutos, sendo que Tobio já havia salvo outra chance certa aos 31 minutos.

Para desespero do torcedor alviverde, novamente quando parecia que iríamos conseguir manter o placar, surge o final infeliz. Em jogada do ataque atleticano, um rebote sobra para Dátolo (novamente), só que desta vez o meia não vacila e manda para dentro. 2 a 1 Atlético-MG, aos 42 minutos da etapa final. Mais uma derrota, e mais agonia para nós, pobres torcedores.

As notas dos jogadores do Palmeiras:

Fábio6,0– Fez ótimas defesas e não teve culpa nos dois gols que tomou.

Weldinho3,0– Fraco na marcação, fraco no apoio ao ataque, fraco nos passes…

Lúcio6,0– Muita raça e lucidez durante toda a partida. Não merecia a derrota.

Tobio4,0– Ainda muito irregular, de quebra fez pênalti absurdo que felizmente o juiz não viu e não marcou.

Victor Luis6,0– Lutando do início ao fim, manteve o bom nível das últimas partidas.

Renato5,5– Outro que sua e muito a camisa em termos de marcação.

Wesley2,0– Em péssima fase, errou inúmeros passes e nada produziu de positivo. Deu sua vaga aos 21 minutos para Josimar -3,5-, que se esforçou bastante.

Allione5,0– Ainda fora de jogo, mescla lampejos de bom jogador com passes errados e vaciladas.

Felipe Menezes3,0– Falhou na missão de armar a equipe, errando passes e chutando a gol de forma bisonha.

Leandro1,0– A má fase do atacante alviverde insiste em não passar. Péssimo. Saiu aos 9 minutos substituído por Pablo Mouche -4,0-, que correu bastante mas pouco fez.

Henrique6,0– Voluntarioso, ficou muito fora da área, que não é a dele. Mas quando sobrou a chance, mandou para o fundo do gol adversário. Saiu aos 30 minutos substituído por Diogo -sem nota-, que não teve tempo para fazer muita coisa.