Palmeiras perde para o Atlético-GO com time renovado

Perante menos de cinco mil torcedores e na chuvosa tarde deste domingo (25), o Palmeiras perdeu pelo placar de 2 a 1 para o Atlético-GO em partida válida pelo Brasileirão 2012. O destaque (negativo) ficou com Obina, que abusou do direito de irritar o torcedor com seus lances bizarros.

No início, o Palmeiras, mesmo com um time desentrosado e repleto de garotos da base, tomou as ações da partida e pressionou o rival. Aos 5 minutos, Bruno Dybal bateu uma falta na barreira, e na sequência Mazinho chutou forte, exigindo boa defesa de Márcio.

Aos 7 minutos, o estreante Raphael Alemão teve de se esforçar para afastar uma bola de sua área, fazendo sua primeira defesa como goleiro do Verdão. Era o primeiro momento de perigo dos goianos, que claramente tentavam aproveitar os erros do Palmeiras.

Bruno Dybal, mostrando desenvoltura, arriscou aos 15 minutos chute de longe e quase surpreende Márcio.

Mas, para atazanar a torcida alviverde, uma bola é alçada na área alviverde, Raphael Alemão rebate mal e Raylan aproveita o rebote, abrindo o marcador aos 16 minutos.

Enquanto o Palmeiras tentava se recompor, Patrick de cabeça quase amplia o marcador para o Atlético-GO, mas a bola felizmente passou por cima do nosso gol, aos 20 minutos.

Mas nosso time não desanimou. E aos 25 minutos, após rebote de Márcio em cobrança de falta de Correa, Patrick Vieira fez o gol de empate, seu segundo como profissional.

Raphael Alemão teve a chance de se recuperar da falha no gol do adversário aos 34 minutos, quando fez grande defesa em finalização do mesmo Raylan.

Ainda em meio a muita disposição e um montão de passes errados, Correa levou perigo em cobrança de falta que Márcio precisou se esforçar bastante para evitar o gol alviverde aos 39 minutos.

Aos 43 minutos, Patrick Vieira coloca Obina na cara do gol, e o atacante tropeça na bola, se atrapalha todo e perde o tento mais feito da etapa inicial, mantendo dessa forma o empate.

O Atlético-GO voltou mais animado para a etapa final e dominou as ações, sem, no entanto, criar nada de significativo. O Verdão mostrou as garras aos 8 minutos em cobrança de falta de Correa que passou perto da meta de Márcio.

Nessas de arriscar chutes de longa distância, Ernandes mandou um balaço e pegou Raphael Alemão desprevenido aos 12 minutos. 2 a 1 para o time goiano. Aos 16 minutos, o goleiro alviverde salvou o que seria o terceiro gol ao sair bem do gol e impedir a finalização.

Mantendo o padrão de perder gols e mais gols, Vinícius não chutou com o capricho necessário aos 17 minutos para empatar a partida, mesmo estando cara a cara com Márcio.

Tivemos apenas um peteleco, e pouco depois, sai Mazinho para a entrada do atacante Índio, mais um jogador com esse apelido a vestir o manto sagrado alviverde. Aos 23 minutos, sai Patrick Vieira e entra o terceiro Diego Souza a jogar no Verdão profissional.

Márcio de novo é obrigado a se virar quando Artur manda um torpedo rumo à meta do Goianiense aos 25 minutos. Bela defesa.

Aos 28 minutos, Wellington é expulso após fazer falta, e o Verdão fica com um a menos em campo. Para recompor a defesa, Gilson Kleina tira Bruno Dybal e coloca Luis Gustavo.

Mesmo inferiorizado numericamente, o Palmeiras continuou pressionando, mas abusou do direito de perder gols e penou com a mania do senhor Obina de tentar cavar pênaltis de forma grotesca.