Palmeiras perde para chuva e Rio Claro

O verdadeiro dilúvio que caiu na cidade de Rio Claro ajudou a determinar a vitória da equipe da casa contra o Palmeiras pelo placar de 1 a 0 na noite de hoje. A explicação para tal fato é simples.

De um lado, o medíocre time dirigido atualmente pelo ex-zagueiro Agnaldo e fortíssimo candidato ao rebaixamento soube se adaptar às condições do campo, que virou uma verdadeira lagoa recheada de poças por todos os lados.

Do outro, os pupilos de Antonio Carlos acrescentaram mais uma forte deficiência às várias que sabemos possuírem: não conseguem se superar nesse tipo de situação.
No primeiro tempo, o Verdão ainda teve um pouco mais de lucidez e pressionou bastante o Rio Claro, criando diversas chances de gol.

As melhores foram aos 4 e aos 25 minutos, em tentativas de Robert, e aos 29 minutos, quando chute de Souza bateu na trave, com Cleiton Xavier isolando para fora, no rebote.
Só para variar, nossas principais deficiências foram a falta de pontaria nos raros chutes e a alta quantidade de passes errados nos momentos de decisão.

O time interiorano, que havia criado uma única chance mais aguda de gol até ali (aos 10 minutos), teve mais eficiência. Aos 33 minutos, Osny recebeu boa bola, aproveitou-se de vacilada de Souza e finalizou com força, sem chances para Marcos.
O primeiro minuto da etapa final foi um pesadelo, com o Rio Claro perdendo duas oportunidades claras de gol, uma indo na trave de Marcos.

A partir daí, o Palmeiras tentou fazer alguma coisa, mas esbanjou incompetência na hora de superar as dificuldades impostas pelo gramado encharcado.

Aos 13 minutos, nosso treinador buscou mudar alguma coisa colocando Marquinhos e Ivo nos lugares de Lenny e Souza, mas não deu muito certo. O time se perdia em toques pelo meio que paravam nas poças, ou em chutões na área adversária que eram rebatidos sem dificuldades.

Aos 34 minutos, em rara oportunidade, o Rio Claro quase faz o segundo, com Marcos fazendo boa defesa. William entrou aos 29 minutos no lugar de Wendel, o que obviamente não mudou muita coisa.

No final, na base do desespero, Robert cabeceou para ótima defesa de Sidney aos 42 minutos e Marcos cabeceou mal outra tentativa na área adversária. Essa derrota deixa o Palmeiras em situação dificílima no Paulistão 2010.

uol_logoClique aqui para ouvir a Rádio Mondo Palmeiras – Edição 168.