Palmeiras perde para a Ponte Preta em Campinas

A ótima estreia contra o Atlético-PR no Brasileirão 2016 criou muita expectativa para o jogo deste sábado (21). No entanto, o Palmeiras não se mostrou à altura desse otimismo, e perdeu para a Ponte Preta em Campinas pelo placar de 2 a 1. A coisa poderia ter sido ainda pior, se o time da casa tivesse tido mais competência para concretizar algumas chances que teve. O próximo jogo será contra o Fluminense, na próxima quarta-feira (25).

O início da partida não poderia ter sido mais promissor. Com apenas dois minutos de bola rolando, duas chances claras de gol, desperdiçadas por Gabriel Jesus e Cleiton Xavier, respectivamente. No entanto, o troco veio logo a seguir, com Ravanelli em cobrança de falta que Pass defendeu e chute forte de Felipe Azevedo aos 5 minutos que foi para escanteio.

A partir daí, o time da casa cresceu e tomou as rédeas do jogo, Aos 19 minutos, Jefferson chutou para fora. O Palmeiras reagiu episodicamente aos 20 minutos, com Cleiton Xavier cabeceando com força e exigindo bela defesa do goleiro da Ponte. Mas foi só. Aos 22 minutos, Wellington Paulista cabeceou e Prass teve de fazer mais uma defesa. Aí….

A velha vacilada em bolas paradas voltou a nos assombrar. Ravanelli cobrou falta e encontrou Felipe Azevedo livre na área, com o jogador não vacilando e abrindo o marcador aos 23 minutos. Aos 28 minutos, Róger Guedes exigiu outra defesa do goleiro adversário, mas os contra-ataques do time campineiro se mostravam muito mais promissores do que as estocadas alviverdes.

Aos 32 minutos, uma jogada rápida pegou o sistema defensivo do Verdão de calças curtas. Reinaldo ficou livre e cruzou para Felipe Azevedo, que mais uma vez estava livre e mandou para o fundo da meta alviverde. O mesmo jogador, que em 2015 fez 4 gols em 31 partidas, quase faz mais um, aos 40 minutos, com Clayson levando perigo ao gol alviverde aos 47 minutos.

O segundo tempo se mostrou simplesmente horroroso, com a Ponte Preta satisfeita com o placar e encolhida em seu campo defensivo, e o Palmeiras não mostrando a menos capacidade para abrir o ferrolho adversário, mesmo com Rafael Marques e Dudu nas vagas de Alecsandro e Matheus Sales.

Para minorar um pouquinho o prejuízo, o time treinado por Cuca, que por sinal foi expulso aos 35 minutos devido a uma reclamação fora de hora, conseguiu pressionar um pouco mais no finalzinho e fez seu gol aos 45 minutos, com Moisés aproveitando rebote da defesa da Ponte. Por sinal, alguns minutos antes o juiz anulou gol de Gabriel Jesus em impedimento duvidoso. Seja como for, não dá para contestar a justiça da derrota, em partida a ser esquecida.

As notas dos jogadores do Palmeiras:

Fernando Prass5,5– Sem culpas nos gols.

Tchê Tchê3,0– Muito abaixo do que fez na partida de estreia no Verdão.

Thiago Martins3,0– Inseguro e sem muita capacidade de marcação nos momentos decisivos.

Vitor Hugo3,5– Errou passes e marcou muito mal, atuando bem abaixo do seu habitual.

Egídio4,5– Até se esforçou, mas hoje esteve tecnicamente muito fraco.

Matheus Sales3,5– Fez muitas faltas e errou muitos passes. Saiu no intervalo, substituído por Dudu2,0-, que nunca se mostrou tão apagado com a camisa do Palmeiras como nesta partida.

Jean4,0– Apagado demais.

Cleiton Xavier5,5– Afora dois ou três cruzamentos, nada de muito recomendável.

Gabriel Jesus4,0– Tarde de pouca criação, embora tenha feito um gol anulado de forma duvidosa.

Róger Guedes2,0– Não foi visto em campo, a não ser quando tomou um drible constrangedor do goleiro da Ponte. Saiu aos 16 minutos do segundo tempo substituído por Moisés5,5-, que fez um gol e tentou colocar fogo no jogo.

Alecsandro3,0– Não viu a cor da bola. Saiu no intervalo substituído por Rafael Marques2,0-, que não jogou absolutamente nada.