Palmeiras perde o Derby na Allianz Parque

De um lado, um time humilde e sem grandes estrelas, mas extremamente aplicado e bem treinado. Do outro, um amontoado de jogadores caros sem a menor inspiração e perdidos em campo. O que se poderia esperar? O que ocorreu, a vitória do Corinthians (o primeiro) contra o Palmeiras (o segundo), na noite desta quarta (12), pelo placar de 2 a 0. Adeus, Brasileirão…

Desde o começo, o que se viu foi o jogo sendo jogado da forma que o Corinthians tem gostado e que lhe valeu a liderança do Brasileirão: fechado, com organização tática impecável e tentando uma ou outra avançada para conseguir algo. Por sua vez, o Palmeiras se mostrou burocrático, sem grande inspiração e avançando de forma lenta.

Aos 9 minutos, Romero fez boa jogada, mas chutou para fora, enquanto Dudu, logo a seguir, cabeceou para fora, após cruzamento de Tchê Tchê, o jogador mais acionado na etapa inicial. Aos 10 minutos, Egídio chutou de longe, mas Cassio estava atento e defendeu sem dificuldade.

Mina teve boa chance aos 14 minutos, mas cabeceou para fora, em jogada iniciada após cobrança de escanteio. Aí, aos 21 minutos, a especulação alvinegra deu frutos. Guilherme Arana entrou na área e Bruno Henrique, afobado, o derrubou. Pênalti, que Jadson converteu aos 22 minutos.

A partir daí, o time visitante se fechou ainda mais, e o Verdão não se mostrou muito eficiente para furar esse bloqueio. Aos 29 minutos, Bruno Henrique tentou chutar de fora da área, mas a bola passou por cima. Aos 37 minutos, Dudu chutou cruzado, para fácil defesa de Cássio.

O lance mais agudo do Palmeiras ocorreu aos 40 minutos, quando Cassio dividiu com Thiago Santos, salvando boa chance, com Bruno Henrique chutando e a bola sendo desviada para escanteio logo a seguir. Aos 43 minutos, Róger Guedes tentou, a bola desviou na zaga e o goleiro adversário defendeu sem susto.

Com Borja na vaga de Bruno Henrique, o Palmeiras voltou para a etapa final da mesma forma, sem personalidade, tentando equivocadas bolas levantadas da área ou errando passes a torto e a direito (errou mais de 40 durante toda a partida). Enquanto isso, o rival aguardava, tranquilo, a oportunidade para matar a partida, aplicado e sem se arriscar em momento algum.

E a chance, cirúrgica, veio em contra-ataque rápido no qual Romero lançou Guilherme Arana, que recebeu, venceu fácil a defesa alviverde e marcou o gol que selou o placar final, aos 19 minutos. A partir daí, o que se viu foi…nada. Bolas na área, passes errados, confusão. Doeu pra burro!

As notas dos jogadores do Palmeiras:

Fernando Prass5,0– As bolas que foram chutadas no gol entraram, mas ele não teve culpa.

Tchê Tchê3,0– Esforçado, mas burocrático até a medula, não acertando um único cruzamento.

Yerry Mina5,0– Muita vontade, mas estava tecnicamente abaixo do habitual, e muito mal acompanhado.

Edu Dracena4,0– Fez o possível, mas a coisa estava feia para o seu lado.

Egídio3,5– Até se esforçou, mas após um tropeção patético desapareceu. Saiu aos 35 minutos do segundo tempo substituído por Zé Roberto- sem nota, que entrou com o jogo perdido.

Thiago Santos5,0– Muita raça e determinação, mas dentro de seus limites. Saiu aos 21 minutos substituído por Keno-2,0, que ciscou, ciscou, ciscou….e mais nada.

Bruno Henrique2,0– Fez um pênalti besta e mostrou muita falta de ritmo. Saiu no intervalo substituído por Borja-1,0, que além de não jogar nada quase foi expulso, embora tenha sido agredido. Precisa esfriar a cabeça.

Guerra4,0– Totalmente fora de jogo, o que seria de se esperar, depois do susto que passou.

Dudu5,0– Lutou muito, mas esteve muito abaixo daquilo que sabe fazer, e o time não o ajudou em nada.

Róger Guedes5,5– Muita raça durante todo o jogo, até quando jogou como lateral.

Willian5,0– A entrega de sempre, mas teve poucas chances de marcar.

CUCA- ZERO!!! É impossível um técnico com o seu currículo e a sua capacidade permitir que um time treinado por ele jogue tão mal. Sem padrão de jogo, sem organização, sem nada. E que substituições horríveis hoje… Vai precisar trabalhar muito para reverter as péssimas expectativas para o futuro do Verdão em 2017. Que San Gennaro nos ajude!!!

OBS.: APERTEM OS CINTOS, O PRESIDENTE SUMIU! OU MELHOR, VIAJOU…