Palmeiras perde o Derby em Itaquera

Será que 2017 ainda não acabou? Essa foi a impressão de quem assistiu Corinthians 2×0 Palmeiras na tarde deste sábado (24) no Itaquerão, partida válida pelo Paulistão deste ano. Cometendo os mesmos erros das derrotas do ano passado, o time treinado por Roger Machado mostrou que ainda está longe de se acertar. Mas é a hora de muita tranquilidade na direção, o que poderá fazer a diferença para o desenrolar da temporada poder ser positiva.

Como seria de se esperar, a etapa inicial da partida teve um desenvolvimento bastante em cima de tática, com o time da casa mais fechado na defesa, enquanto o Palmeiras tentava abrir espaços com um toque de bola não muito eficiente. Ainda assim, Borja teve uma boa oportunidade, mas não soube dominar a bola e viu Cássio chegar antes dele, aos 10 minutos.

Afora essa chance com Borja e não muito mais do que isso, os lances mais agudos de gol de parte a parte não apareciam, e o empate parecia ser um resultado bastante lógico para se concretizar. Mas…

Após mais de um minuto tocando a bola, uma parte desse tempo na frente da nossa área, o time de Itaquera abriu o marcador aos 39 minutos, com a jogada individual de Rodriguinho finalizando o procedimento. Logo a seguir, aos 41 minutos, quase o zagueiro Balbuena marca contra, mas a bola foi para fora.

Com Gustavo Scarpa na vaga de Willian, o Palmeiras voltou com os mesmos erros cometidos no primeiro tempo, e o time da casa mantinha a tranquilidade, especulando para ampliar o placar a seu favor. Aos 6 minutos, Lucas Lima deixou Borja novamente na frente do gol, e mais uma vez o atacante colombiano não soube dominar a redonda, possibilitando ao goleiro adversário a defesa.

Aí, aos 13 minutos, o lance que a rigor definiu o jogo. Em um bate-rebate na área alviverde, Jailson faz pênalti e ainda é expulso. Fernando Prass, que entrou na vaga de Lucas Lima para substituí-lo, deu sorte e aos 20 minutos Jadson bateu para fora. Mas, logo a seguir, ficou claro que o resultado se manteria.

Depois de apenas alguns minutos de mais vibração, logo o Palmeiras sentiu o atleta a menos, e não mostrou a menor capacidade de reação. Pior: Dudu aos 38 minutos, fez pênalti em Rodriguinho. Clayson cobrou e deu números definitivos ao placar. Uma performance horrível, que precisa ser bem analisada por jogadores, comissão técnica e direção para que não nos leve para o rumo errado de novo. Tomara que o bom-senso predomine.


As notas dos jogadores do Palmeiras:

Jailson5,0– Fez algumas defesas e não teve culpa no gol, mas vacilou no pênalti e acabou expulso.

Marcos Rocha3,0– Desastroso na marcação e ineficiente no apoio ao ataque. Decepcionante.

Antônio Carlos5,0– O melhorzinho da zaga na partida de hoje, especialmente pelo alto.

Thiago Martins3,0– Muito, mas muito mal mesmo, especialmente na marcação, com falhas individuais terríveis.

Michel Bastos3,5– Ineficiente, sem garra, tecnicamente sofrível… Não dá para ele ser titular, não, Roger!

Felipe Melo4,0– Muita pose e pouco resultado prático.

Tchê Tchê5,5– Um pouco acima do resto do time, mas foi substituído de forma equivocada por Roger aos 33 minutos do segundo tempo por Keno-sem nota, que a rigor entrou com o jogo já perdido e não viu a cor da bola.

Lucas Lima5,5– Não brilhava, mas mostrava alguns lampejos que poderia ter sido decisivos. Mas foi substituído aos 18 minutos do segundo tempo por Fernando Prass-6,5, que entrou em uma bela fria, mas ao menos escapou de tomar dois gols de pênalti (tomou só um).

Dudu4,0– Muito nervoso, parecia o Dudu de seus tempos iniciais de Palmeiras.

Willian4,0– Lutou, mas foi engolido pela incompetência do time. Saiu no intervalo substituído por Gustavo Scarpa-3,5, que infelizmente sentiu o peso do jogo e nada fez.

Borja2,0– Perdeu dois gols feitos justo no jogo em que não podia falhar. Bem, ainda falta muito da temporada, mas ele precisa aprender a jogar um clássico, senão…