Palmeiras perde novamente para o São Paulo no Brasileirão

Por Fabian Chacur

Estava tão na cara, tão na cara, mas tão na cara que o São Paulo iria vencer o clássico jogado na noite deste domingo (16) no Morumbi válido pelo Brasileirão 2014 que, no fim das contas, não deu outra. O 2 a 0 foi conquistado pelo time da casa sem que o mesmo tenha necessitado jogar lá essas coisas. Fácil, fácil. E o Palmeiras fica agora a três pontos do Z-quatro. Cruzemos os dedos…

O início da partida foi naquela famosa base do “momento de estudos”, com as duas equipes marcando bastante e sem muita inspiração para tentar alguma coisa. Aos 16 minutos, as primeiras chances, uma em cobrança de falta de Diogo e outra na qual Alan Kardec cabeceou para difícil defesa de Fernando Prass.

Aos 20 minutos, novo chute de Diogo para fora. E aos 21 minutos, um balão oriundo da defesa são-paulina encontrou Hudson na ponta-direita de sua equipe. Ele levantou a bola na área, e Luis Fabiano, livre e solto, finalizou para abrir o marcador a favor do time da casa.

O Palmeiras até que não se abalou, e tentou reagir, só que com a incompetência habitual quando Valdivia não está em campo. Apenas uma oportunidade real surgiu aos 38 minutos, quando Henrique desviou a bola e Rogério Ceni conseguiu defender com a perna, evitando o gol.

Os comandados de Muricy Ramalho ainda teriam mais duas oportunidades até o fim da primeira etapa, uma em chute de Kaká para fora e outra com Alan Kardec, que após uma furada de Nathan não soube finalizar direito e perdeu um gol que poderia ter sido feito de forma bastante fácil.

De forma preguiçosa, o São Paulo preferiu recuar quase que totalmente na segunda etapa, dando corda para o Palmeiras se enforcar. E não deu outra. Mesmo com a entrada de Mazinho no lugar do inoperante Wesley, o que se viu foi o time de Dorival Júnior rondar, rondar e rondar a área do adversário, sem conseguir criar uma única chance decente de gol.

Aí, quando criou sua primeira oportunidade real de gol na etapa final, os comandados de Muricy Ramalho não vacilaram. Em cobrança de escanteio, Edson Silva desviou de cabeça e o zagueiro tricolor Rafael Toloi não perdoou, dando números definitivos à partida, aos 33 minutos.

Os minutos restantes equivaleram a um verdadeiro velório, com o Palmeiras indo para a frente sem nenhuma organização e o São Paulo perdendo pelo menos duas belas oportunidades para ampliar ainda mais o placar a seu favor. Juninho ainda chutaria para longe a única chance decente de gol do Verdão na etapa final, criada aos 48 minutos. Mas aí, a fatura já estava liquidada.

As notas dos jogadores do Palmeiras:

Fernando Prass6,0– Não teve culpa nos gols do adversário, e fez bela defesa em cabeçada de Alan Kardec.

João Pedro4,5– Errou muitos passes e não teve desempenho satisfatório no apoio ao ataque.

Nathan5,0– Jogou abaixo do que pode.

Tobio5,5– O melhor da zaga, o que hoje não significou muita coisa. Mas esbanjou raça.

Juninho4,0– Nulo no apoio e nulo na marcação, ainda perdeu um gol feito no finalzinho da partida.

Marcelo Oliveira4,0– O capitão do time na partida de hoje foi uma lástima…

Victor Luis4,0– Muito esforço, e só.

Wesley3,0– Um jogador caro como ele não pode jogar tão mal e de forma tão descompromissada em um clássico. Saiu aos 6 minutos do segundo tempo dando sua vaga a Mazinho-3,0-, que manteve o baixo nível fazendo quase nada em campo.

Felipe Menezes3,0– Com um meia de “criação” como esse, como esperar uma vitória contra o São Paulo de Kaká e Ganso?

Diogo4,5– Muito esforço, pouco futebol. Saiu aos 33 minutos do segundo tempo para a entrada de Allione-4,5, que não teve tempo para fazer muita coisa e entrou com o jogo já perdido.

Henrique5,0– Isolado na frente, teve apenas uma chance de gol, que Rogério Ceni defendeu de susto.