Palmeiras perde no Rio e termina turno em terceiro

Após ótima seqüência positiva no campeonato, o Palmeiras volta a perder. Nossa quinta derrota ocorreu novamente fora de casa, desta vez contra o Botafogo, no Engenhão, por um a zero.

O resultado pode ser considerado merecido, pois a equipe carioca se mostrou mais determinada a obter o resultado. Faltou inspiração aos atletas alviverdes, que, no entanto, encerram participação no primeiro turno do Brasileirão com um ótimo terceiro lugar, mais na disputa pelo título do que nunca.

O técnico Ney Franco conseguiu dar novo equilíbrio ao time da estrela solitária, desde que substituiu o aparentemente ultrapassado Geninho. Isso ficou claro desde o primeiro minuto da partida, com os seus jogadores esbanjando determinação, boa marcação e rapidez na hora de ir ao ataque.

Enquanto isso, o Palmeiras penou pela falta de criatividade de seu meio-campo na partida de hoje, especialmente de Valdívia e Evandro, e também por não conseguiu se igualar ao adversário em termos de pegada. Marcos teve de se virar para manter o zero no placar, com boas defesas aos 14 minutos, tirando o pão da boca de Gil, e aos 16, em cabeçada de Lúcio Flávio.

Aos 24, Diguinho tentou cavar pênalti, mas o confuso árbitro Leandro Vuaden felizmente não caiu na dele. Jogada individual de Jumar aos 23 minutos, com chute fraco na hora da finalização, e gol feito perdido por Alex Mineiro aos 30, quando foi desarmado na hora agá, foi o mais próximo que chegamos de marcar. Valdívia e Elder Granja tomaram amarelo, e estarão fora da partida contra o Coritiba.

O melhor momento do Verdão na partida ocorreu no começo da etapa final. Pierre, que entrou no lugar de Jumar, ajudou a acertar a marcação, e o time carioca passou a ter mais dificuldades para chegar. Aos 12 minutos, bela tabela entre Kleber e Evandro cria perigo para o adversário, assim como chute de longe de Valdívia.

Pena que, contudido, Pierre teve de sair, substituído por Martinez. Aos 22, Diego Souza, que havia ficado no banco, entrou no lugar de Evandro. A equipe caiu de novo, enquanto o time de Ney Franco vinha sem muita contundência. No entanto, Jorge Henrique aos 34 minutos ganhou bola na esquerda da defesa alviverde (falha de Jeci?) e cruzou para Zé Carlos, que, livre e de cabeça, deu números finais à partida.