Palmeiras perde muitas chances, mas vence o Inter no Allianz Parque



Já era previsto que seria um jogo difícil, mas muita gente apostava que seria simples. A partida contra o Internacional foi um jogo típico de Copa do Brasil. Marcação firme, jogo nervoso, mas ainda assim com muitas chances criadas pelo Palmeiras, que poderia ter praticamente decidido a classificação com mais dois gols.

Cuca blefou ao dizer que poderia poupar alguns atletas. O time que entrou em campo foi exatamente o mesmo que bateu o time do Vasco no domingo, com Tchê Tchê marcando muito bem o D’Alessandro. O time do Internacional também estava muito bem postado e o Palmeiras tinha muita dificuldade para chegar ao campo de ataque.

Quem teve a primeira oportunidade para abrir o placar foi justamente o time gaúcho. Borja sofreu um pênalti, mas o árbitro deixou pra lá, se fosse em Itaquera certamente seria marcada a penalidade.

O Palmeiras teve uma ótima chance para abrir o placar com o Alejandro Guerra. O venezuelano limpou um zagueiro, ficou cara a cara com o goleiro do Internacional, mas acabou escorregando na hora de finalizar. Será que um dia a construtora que diz administrar o estádio vai dar um jeito nisso?

Depois de uma boa jogada que começou com o Felipe Melo, o zagueiro Leo Ortiz cortou o cruzamento do Willian Bigode e meteu a bola, que iria para o Borja, no fundo da rede. Após este gol contra, o Inter afrouxou um pouco a marcação e ficou mais fácil para o Palmeiras chegar ao ataque. Áí é que está o problema.

Embora tenha tido várias chances para ampliar o placar, o colombiano segue desperdiçando todas elas. A torcida ouviu os apelos do técnico Cuca e segue apoiando o atacante, a contratação mais cara do time, mas que precisa melhorar muito.

No segundo tempo, o time do Inter teve chances para empatar a partida, mas Fernando Prass fez ótimas defesas e garantiu a vitória do Palmeiras. Mudou o treinador, mas o “caos aéreo” continua e precisa ser arrumado logo. Cuca tirou Borja, que realmente não estava bem na partida e o Palmeiras perdeu a sua referência de ataque. Cadê o Keno?

No finalizinho do jogo, Dudu puxou um contra-ataque que poderia facilitar a vida do Palmeiras em Porto Alegre. Acho que ele não botou muita fé no Erik, que estava muito bem colocado, e tentou resolver tudo sozinho. Ficamos no 1×0 mesmo e a disputa segue em aberto.

Se ganhar no Beira Rio nunca foi fácil, pelo menos vamos com a vantagem do empate. Se o Palmeiras fizer pelo menos um gol, a coisa complica pra eles.

Ah, mas que CHEIRINHO bom, hein?

Abraço a todos!