Palmeiras perde, mas elimina o Inter da Copa do Brasil

O Palmeiras jogou mal. Muito mal. Merecia ter sido eliminado da Copa do Brasil. Mas felizmente trata-se de um jogo, e nessas condições nem sempre o melhor vence. Mesmo perdendo para o Inter na noite desta quarta-feira pelo placar de 2 a 1, o Verdão conseguiu se classificar para as 4ªs de final do torneio, graças ao gol feito fora de casa. Menos mal…

O início da partida não poderia ter sido pior para o Palmeiras. O Inter veio para cima e aproveitou a indecisão da marcação alviverdes para, logo a 1 minuto, criar uma boa chance de gol. Sorte que Nico Lopez ficou livre e se perdeu, chutando mal e dando a chance para que Prass pudesse para escanteio.

Aos 4 minutos, o mesmo Nico teve boa oportunidade, mas chutou forte para fora. Só que, aos 8 minutos, não teve jeito. Ironicamente, em um momento no qual o Verdão estava no ataque, perdeu a bola de forma bisonha e possibilitou o contra-ataque para o time da casa. D’Alessandro não perdoou e marcou.

A primeira chance razoável alviverde veio aos 13 minutos, em chute e William da entrada da área. Aos 19 minutos, o zagueiro Leo Ortiz desviou claramente a bola na área, mas o sempre péssimo juiz Ricardo Marques não marcou. Aos 26 minutos, Gutierrez mandou para fora, após boa jogada do time colorado.

Como desgraça pouca costuma ser bobagem, aos 29 minutos Dudu sentiu uma contusão e pediu para sair, dando sua vaga para Keno. O time da casa recuou, mas o Palmeiras não teve capacidade para criar jogadas de perigo, sendo um chute de Keno aos 31 minutos o melhor que conseguiu.

Com Thiago Santos na vaga de Edu Dracena, o Verdão veio com a mesma falta de atenção e intensidade para a etapa final. Logo ao 1 minuto, Gutierrez teve boa chance, mas chutou fraco e Prass defendeu. Aos 7 minutos, Sasha chegou atrasado, em cruzamento perigosíssimo na área palmeirense.

A expectativa negativa se concretizou aos 9 minutos, quando um passe milimétrico de D’Alessandro encontrou Nico Lopez na área, e desta vez o atacante não perdoou. A coisa ficava ainda mais feia. Mesmo mal, o Palmeiras aproveitou o recuo excessivo do Inter e foi para o ataque, mas sem muita qualidade. Mesmo assim, aos 21 minutos D’Alessandro segura Zé Roberto na área colorada, e novamente o juiz Ricardo Marques deixa passar.

Aos 26 minutos, finalmente o time de Cuca chega com real perigo, e William tenta duas vezes, mandando uma na trave e na sequência exigindo defesa de puro reflexo de Danilo Fernandes. Um chute fraco de Keno aos 28 minutos dava a entender que o time poderia estar sentindo falta de força para reagir.

Aí, os deuses da bola resolveram agir a nosso favor. Aos 34 minutos, Jean cobrou falta, Thiago Santos desviou, a bola triscou em um jogador do Inter e não deu chances para o goleiro adversário. Na bamba, o Palmeiras conseguia o resultado para se classificar, e o Inter, mesmo lutando muito, não fez o gol salvador. Tristeza em Porto Alegre, alívio (não alegria) em São Paulo.

 

As notas dos jogadores do Palmeiras:

Fernando Prass- 6,5– Não teve culpa nos gols e se mostrou importante em pelo menos dois lances.

Fabiano4,5– Lamentável no apoio e fraco na defesa.

Yerry Mina5,0– Voluntarioso, mas abaixo do que pode/sabe jogar.

Edu Dracena3,0– A pior partida deste excelente zagueiro com a camisa alviverde. Saiu no intervalo substituído por Thiago Santos-8,0, que esbanjou raça e ainda achou o gol salvador

Zé Roberto5,0– Suou a camisa, mas tecnicamente fraco.

Felipe Melo5,0– A raça de sempre, sem muita técnica.

Tchê Tchê2,0– Escalar ele como principal armador do time alviverde foi um dos vários erros de Cuca no jogo. Fraquíssimo.

Jean6,5– Também fraco, mas a assistência do gol salvador veio de seus pés, redimindo-o um pouco do pênalti que perdeu contra o Tricolixo.

Dudusem nota– Vinha mal como o resto do time, mas saiu contundido logo aos 29 minutos do primeiro tempo, substituído por Keno7,0-, que colocou um pouco de fogo no jogo e ajudou até na marcação.

Róger Guedes2,0– Um horror. Saiu aos 14 minutos do segundo tempo substituído por Borja-4,0, que praticamente não viu a cor da bola e de quebra tomou um cartão amarelo.

William5,0– Esforçado, quase faz um gol, mas também foi prejudicado pela falta de armação de jogadas pelos jogadores do meio-campo.