Palmeiras perde mais uma e o dia 12 de julho está aí…

O técnico Cuca não poupou ninguém para a partida deste domingo, contra o Cruzeiro. Mesmo depois de uma maratona de jogos difíceis e muitas viagens, Cuca sabia da importância desta partida e também do dérbi da próxima quarta-feira. Tanto assim, que ele falou em sacrifício na coletiva da sexta-feira.

O ideal seria conquistar uma boa vitória no Mineirão e voltar embalado para enfrentar o rival num Allianz Parque lotado. Bem, a primeira parte do plano quase deu certo.

Sem poder contar com o Juninho, Alejandro Guerra e o Borja, Cuca apostou em Zé Roberto no meio-campo e Egídio voltou para a lateral-esquerda. Como o Cruzeiro precisava sair pro jogo, foi uma escolha acertada.

Só não conseguimos abrir o placar logo de cara, porque o árbitro Pericles Bassols não quis marcar a penalidade que o Roger Guedes sofreu logo aos 15 minutos. Pouco tempo depois, Yerry Mina também foi agarrado dentro da área, na cara do juiz e nada foi marcado. Aliás, cadê o presidente do clube para reclamar sobre isso?

Apesar de ter muito mais volume de jogo, o Palmeiras quase não conseguiu criar boas oportunidades durante a partida. Mesmo sem criar muito, o Cruzeiro conseguiu fazer o primeiro gol com o Thiago Neves. Prass falhou? Maike falhou? Luan falhou? Acho que todos falharam e o cara foi oportunista demais.

Para a segunda etapa, já perdendo por dois gols, Cuca sacou Mayke e colocou o liso Keno do lado esquerdo do ataque. O apagado Dudu foi pro meio e continuou sem fazer muita coisa até o final da partida.

Apesar de Keno ter entrado bem no jogo, foi pelo lado direito do ataque que o Palmeiras criou as (poucas) melhores chances de gol. Roger Guedes repete a boa fase do ano passado e fez um cruzamento perfeito para o Bigode marcar o seu gol e ir buscar a bola para tentar outro empate. Pena que o time parou por aí.

Cuca ainda colocou o Raphael Veiga e o Michel Bastos, mas nada aconteceu. Minha esperança é que, com os retornos de Felipe Melo, Guerra e Moisés, o time ganhe mais consistência no meio-campo.

Claro que também precisamos de um atacante mas, com meias de qualidade, a vida de qualquer centroavante fica muito mais fácil. Pena que o dia 12 está tão próximo…

Enfim, vai ter que ser na base da raça mesmo!

 

Abraço a todos!