Palmeiras perde mais uma e faz sua torcida sofrer

A expectativa criada por um gol a nosso favor logo aos 23 minutos nos deu a impressão de que hoje, quarta-feira (12), seria o dia de uma grande vitória. Pura ilusão.

De virada, o Palmeiras perdeu para o Vasco em São Januário e continua ainda mais atolado na maldita zona de rebaixamento do Brasileirão 2012. E aí, Felipão? E aí, diretoria?

Como seria de se esperar, o Vasco aproveitou a fase inicial da partida para pressionar o Palmeiras, e conseguiu duas boas oportunidades logo de cara, aos 3 e aos 4 minutos, com Wellington salvando a primeira e Bruno a segunda.

Com as equipes esbanjando cautela, lentidão e passes errados, o jogo esquentou aos 23 minutos quando Luan aproveitou rebote de Fernando Pras após boa cabeçada de Wellington e abriu o marcador para o Verdão.

A torcida da casa começou a vaiar o seu time e a vantagem poderia ser ampliada, mas o time de Felipão errou em pelo menos duas vezes, em contra-ataques, a última bola e não conseguiu concluir de forma efetiva.

Dessa forma, o time carioca acabou equilibrando as ações e empatou aos 29 minutos, com Tenório concluindo jogada que se iniciou em cruzamento de Wendel e assistência de cabeça de Alecsandro em meio a uma zaga literalmente perdida no lance.

Aos 31 minutos, Fernando Pras fez bela defesa em cobrança de escanteio, e aos 34 minutos Valdívia acertou belo chute, cujo rebote Luan mandou na Lua.

O Vasco deu o troco aos 35 minutos, quando Tenório teve boa oportunidade, mas manda para fora. Barcos deu o ar de sua graça e categoria aos 44 minutos, quando fez boa jogada e quase põe o Verdão novamente na frente. A bola foi para fora.

O início da segunda etapa mostrou o Palmeiras pressionando muito, e perdendo duas grandes chances, uma com Thiago Real a 1 minuto e outra com Luan, que recebeu livre, demorou muito e proporcionou a defesa a Fernando Pras aos 2 minutos.
Aí, a zica entrou novamente em cena. Aos 6 minutos, Nilton faz de cabeça, em cruzamento de Juninho Pernambucano. Virada vascaína.

A partir desse momento, o time sentiu a pancada. Lógico que a entrada de Vinícius (???) no lugar de Thiago Real aos 17 minutos não ajudou muita coisa. Aliás, ajudou a piorar o que já estava ruim.

Aos 25 minutos, sai Barcos, entra Obina. E nada melhora. O golpe de misericórdia surgiu aos 26 minutos, quando Juninho Pernambucano, que não fazia gol há mil anos, guardou o dele, em contra-ataque rápido e passe de Tenório, o nome do jogo.

Sem criar praticamente nada até o fim, o Palmeiras ainda correu o risco de tomar o quarto gol, em duas oportunidades que Tenório felizmente desperdiçou.

Resta saber qual será a atitude da diretoria diante das entrevistas murchas de Felipão, que afirmou já ter feito tudo o que podia, e de Cesar Sampaio, que garantiu que dentro do Palmeiras muita gente já encara o time como rebaixado. Ão, ão,ão, queremos reação!


***********

Ouça também o TORPEDO VERDE, o nosso boletim (quase) diário.