Palmeiras perde jogo de ida para o Cruzeiro na Copa do Brasil

O Palmeiras teve muita posse de bola, muitas tentativas de gol e pouca efetividade nas finalizações. Resultado: o Cruzeiro, com um gol logo no início, em uma partida na qual finalizou apenas quatro vezes, venceu por 1 a 0 o Palmeiras na partida de ida da semifinal da Copa do Brasil, realizada na noite desta quarta (12) na Allianz Parque. Um empate, daqui a duas semanas, em Belo Horizonte, levará o time mineiro para a final da competição nacional.

O início se mostrava promissor para o Palmeiras, que criou uma oportunidade logo a 2 minutos, quando Willian venceu Egídio e cruzou para Moisés cabecear para fora. Logo a seguir, aos 4 minutos, Borja fez uma boa jogada e exigiu difícil defesa por parte do goleiro Fábio.

No entanto, logo a seguir, segundos antes dos 5 minutos, Thiago Neves lançou Robinho, que deu assistência perfeita que permitiu a Barcos, livre, abrir o marcador. Mesmo com essa ducha de água fria nas costas, o Verdão se manteve no seu campo ofensivo, com chutes de Moisés aos 7 minutos e Borja aos 10 minutos.

Ainda aos 10 minutos, Dudu fez uma boa jogada, e sua finalização passou bem perto da meta cruzeirense. Aos 13 minutos, Willian finalizou de forma meio estranha e a bola bateu no travessão e saiu. A partir desse momento, o time de Mano Menezes começou a marcar mais forte, e as chances de gol rarearam.

O Cruzeiro chegou com algum perigo aos 21 minutos, com Dedé cabeceando para fora após cobrança de escanteio, e aos 26 minutos em cruzamento de Thiago Neves. Aos 28 minutos, boa trama engendrada por Dudu e Willian ganhou finalização forte de Borja, que infelizmente foi para fora.

Os mineiros ainda ameaçariam a meta alviverde em duas outras oportunidades, uma aos 41 minutos com Thiago Neves na qual Weverton saiu bem e evitou o pior, e aos 49 minutos com Barcos, que felizmente foi bem bloqueado e chutou fraco.

Com Lucas Lima no lugar de Thiago Santos, o Palmeiras voltou mais ofensivo para a etapa final, mas sem conseguir criar oportunidades de gol realmente efetivas, enquanto seu adversário abdicou de atacar e se manteve o tempo todo em seu campo defensivo, não conseguindo nem ao menos contra-ataques.

Uma rara chance nesse período veio aos 34 minutos em bom chute de Artur que Fábio pôs para escanteio

Com um a mais em campo a partir dos 35 minutos, quando Edilson foi expulso, o Palmeiras pressionou, mas não se deu bem. Curiosamente, a melhor chance veio aos 48 minutos, quando Egídio rebateu mal uma bola na área e só não fez um gol contra devido ao reflexo de Fábio, com o lateral rebatendo a seguir.

Aos 51 minutos, Lucas Lima acerta uma bola na trave adversária. No último lance do jogo, o árbitro marca uma falta questionável, para não dizer inexistente, no goleiro Fábio, sendo que Antônio Carlos aproveitou o rebote e marcou o gol, no fim das contas não validado. Final triste para uma partida na qual nada, rigorosamente nada deu certo.

As notas dos jogadores do Palmeiras:

Weverton6,0– Não teve culpa no gol e foi pouco exigido pelo adversário, que quase não atacou.

Mayke5,0– Errou muitos passes e pouco rendeu no apoio ao ataque.

Antônio Carlos6,0– Trabalhou pouco.

Edu Dracena6,0– Atuação discreta.

Diogo Barbosa6,0

Thiago Santos5,0– Partida regular. Saiu no intervalo dando lugar a Lucas Lima-6,0, que deu mais mobilidade ao meio campo mas não estava muito inspirado.

Bruno Henrique6,0– Muito esforço na marcação. Saiu aos 38 minutos do segundo tempo para a entrada de Marcos Rocha-sem nota, que entrou muito tarde.

Moisés5,5– Errou muitos passes decisivos e finalizou mal, embora tenha lutado bastante.

Dudu7,5– De longe o melhor do time, tentando abrir a defesa adversária e correndo muito.

Willian6,0– Alternou bons e maus momentos durante toda a partida.

Borja5,0– Fraco, provavelmente sentindo a contusão da qual está se recuperando. Saiu aos 32 minutos do segundo tempo substituído por Artur-sem nota.