Palmeiras perde em Curitiba

Quando, se Deus quiser, estivermos fazendo uma análise fria do Brasileirão 2009 após termos comemorado o título que esperamos há longos 15 anos, certamente iremos pensar em qual foi o momento mais difícil do torneio, e qual a pior partida nessa trajetória.

Pois tenho certeza de que esse Coritiba 1×0 Palmeiras de hoje certamente estará na frente em todos os sentidos. É o auge de um momento negativo da equipe, que em quatro partidas empatou três e perdeu uma, e cujo ataque aparentemente perdeu o rumo do gol. De quebra, acabou o jogo com dois jogadores expulsos (Pierre e Marcão), e perdeu aos 45 minutos graças a uma penalidade inexistente.

Desde o início, o que poderia se esperar das duas equipes se confirmou, ao menos na primeira etapa. O Coritiba tentando tomar as ações ofensivas, com o Verdão se segurando e tentando algo no contraataque. A entrada inesperada do atacante Daniel como uma espécie de ala foi uma aposta ousada de Muricy Ramalho.

Aos 15 minutos, Cleiton Xavier, nosso jogador mais sereno e efetivo hoje, cobrou falta para cabeçada de Obina para fora. Aos 20, ele fez ótima jogada e chutou forte, para boa defesa de Edson Bastos, aquele goleirinho que só joga contra nós, como diria Raul Bianchi .

Aos 30 minutos, Ortigoza recebe bom passe, mas, em noite nada inspirada, chutou para longe. Aos 32 minutos, Pierre é expulso em jogada na qual o amarelo estaria de bom tamanho. Em seguida, Jumar entra no lugar de Daniel. Mesmo com mais posse de bola, o fraco time do Coritiba só criou duas chan ces reais de gol, uma com Márcio Gabriel aos 34 minutos e outra com Marcelinho Paraíba cabeceando para boa defesa de Bruno. E aos 39 minutos, Leandro Donizeti toma o segundo amarelo e iguala o número de atletas em campo.

O segundo tempo foi um verdadeiro martírio. De um lado, o time paranaense pressionando de forma frágil e sem criar grandes chances.

Do outro, Armero mais uma vez jogando muito mal (como, aliás, boa parte do time), e nosso Alviverde Imponente com uma incapacidade crônica de chutar bolas decentes a gol, e de acertar passes. Nossa melhor chance de novo veio aos 20 minutos com Cleiton Xavier, em outra defesa importante de Edson Bastos.

Aos 28 minutos, o só para variar estabanado Jumar fez pênalti que o juiz não vê. Mas o árbitro compensaria o time da casa ao enxergar penalidade máxima em um lance no qual Thiago Gentil (aquele, meu Deus do céu!) e Marcão seguravam um ao outro na área.

De quebra, Marcão tomou o segundo amarelo e foi pro chuveiro mais cedo. Aos 45 minutos, Marcelinho Paraíba deu números finais a Coritiba 1×0 Palmeiras. E durma-se com todo esse barulho…

********

Ouça também o Torpedo Verde, o boletim diário da Rádio Mondo Palmeiras.