Palmeiras perde dos reservas do Atlético-MG no Pacaembu

Por Fabian Chacur

Um time titular é sempre melhor do que um reserva, certo? Nem sempre. Depende da qualidade dos titulares de um lado e da categoria dos reservas do outro. No caso da partida realizada na noite deste sábado (8) no Pacaembu, os reservas do Atlético-MG superaram com tranquilidade os titulares do Palmeiras pelo placar de 2 a 0, em partida válida pelo Brasileirão 2014.

O primeiro tempo teve como marca o forte comprometimento do time do Atlético-MG, que mesmo composto apenas por reservas marcou forte e procurou atacar sempre que possível o Palmeiras, que por sua vez mostrou dificuldades para sair do esquema do adversário e criar jogadas decentes.

Logo aos 4 minutos, Dodô cobrou falta e Fernando Prass espalmou. Aos 7 minutos, um raro lançamento de Valdivia deixou Henrique na cara do gol. Ele até driblou o goleiro Victor, mas na hora da finalização mandou longe. O Galo, por sua vez, teve duas boas chances aos 21 e aos 24 minutos.

O Atlético-MG ainda teria mais uma chance aos 26 minutos com Rafael Carioca, enquanto o Palmeiras só daria seu segundo arremate ao gol aos 34 minutos, um chute fraquinho de Mazinho facilmente defendido pelo goleiro do time mineiro. O jogo parecia se encaminhar para um empate em sua etapa inicial.

No entanto, cobrança precisa de falta de Dodô encontrou o zagueiro Tiago livre na área, e ele cabeceou livre, sem chances para Fernando Prass. O placar estava aberto para o time visitantes. Em ótimo cruzamento de Victor Luis, Henrique cabeceou bem e a bola passou perto do gol do Galo aos 39 minutos.

Até o final ainda teríamos mais dois perigos aos gols, uma para o Palmeiras aos 43 minutos, com boa defesa de Victor, e outra aos 46 minutos, quando Marion bateu falta para fora. O balança da primeira metade da partida mostrou um time reserva melhor do que o time titular em campo.

Tentando mudar algo para a etapa final, o Palmeiras voltou do vestiário com Diogo e Mouche nas vagas de Mazinho e Allione. Nada mudou. O Atlético-MG continuou com marcação reforçada e aposta nos contra-ataques, enquanto o Palmeiras continuou criando pouco e chutando mal.

Aos 19 minutos, a pá de cal no ânimo dos palmeirenses. Após perder mais uma boa oportunidade de gol por má finalização, o Verdão proporcionou ao adversário um contra-ataque que se mostrou mortal, com Dodô fazendo boa jogada e finalizando com categoria na meta de Fernando Prass. 2 a 0.

A partir daí, o que se viu foi a garra de Diogo, que chutou umas três boas bolas contra o gol adversário (todas para fora) e a inoperância do meio-campo e do ataque alviverde no sentido de realmente criar dificuldades para o goleiro Victor, que não precisou jogar muito para evitar os gols do adversário. Derrota para ligar o sinal vermelho.

As notas dos jogadores do Palmeiras:

Fernando Prass6,0– Não teve culpa nos gols, mas andou dando umas vaciladas não muito habituais.

João Pedro5,0– Bastante irregular, errando passes e falhando na marcação em vários momentos.

Tobio5,5– Muita vontade, mas discreto.

Nathan6,0– O melhor da defesa, com segurança e jogo simples nas horas mais difíceis.

Victor Luis-5,5- Razoavelmente bem no apoio e fraco na marcação. Saiu aos 27 minutos substituído por Juninho5,0-, que tentou algumas jogadas ofensivas mas pecou nas finalizações.

Renato4,5– Nâo deu o apoio necessário à defesa e errou vários passes.

Marcelo Oliveira3,5– Fez uma fraca dupla de volantes com Renato, errando um caminhão de passes e apoiando muito mal o ataque. Merece um banquinho…

Mazinho4,0– Não foi visto em campo no primeiro tempo. Saiu no intervalo substituído por Diogo6,5-, que acabou sendo o jogador mais lúcido do Palmeiras, com muita movimentação e chutes a gol. Só precisa melhorar a pontaria, uma clara deficiência.

Valdivia6,0– Muito esforçado, mas mal tecnicamente, com vários passes errados e nenhum chute a gol.

Allione-3,0- Tímido demais, passou batido pelo primeiro tempo. Pablo Mouche4,0– entrou na vaga do conterrâneo e até se esforçou. mas sem efetividade alguma.

Henrique5,0– Perdeu um gol feito logo aos 7 minutos e quase faz aos 39 minutos do primeiro tempo, e foi só. A bola definitivamente não chegou a ele.