Palmeiras perde do Guarani em Campinas e se enrola no Paulistão

O Palmeiras perdeu na tarde deste domingo (8) em Campinas para o Guarani pelo placar de 3 a 1. No dia em que se comemorou a Páscoa, não sobrou nada para o torcedor alviverde celebrar.

Rigorosamente nada. Com o resultado, fica quase garantido que a equipe treinada por Luis Felipe Scolari não ficará entre os quatro primeiros no Paulistão, jogando fora nas quartas de final, provavelmente contra esse mesmo Guarani, nesta mesma Campinas

Logo a 1 minuto, Marcos Assunção levou perigo ao gol do Guarani e deu esperaça aos palestrinos. Logo a seguir, no entanto, Fabinho quase marca ao aproveitar falha de marcação da defesa alviverde, o que seria a tônica desses 45 minutos iniciais.

Aos 10 minutos, Wesley sai contundido, dando sua vaga a Maikon Leite, e o Palmeiras começa a perder a disputa no meio-campo, além de se enrolar nas bolas paradas. E em uma delas, o adversário abriu o marcador.

Fumagalli bate falta, Bruno Mendes cabeceia, Deola rebate a bola no meio da área e o zagueiro Neto aproveita para fazer o gol. Quando o time campineiro ainda comemorava seu gol, Daniel Carvalho sofre pênalti, cobrado com categoria por Barcos aos 18 minutos.

O Guarani continuou dominando, e após mandar uma bola na trave do Palmeiras, Gerley derrubou um adversário na área. Pênalti, que Fumagalli converteu, colocando novamente sua equipe à frente do marcador.

Apesar de tudo, o Palmeiras poderia ter empatado o jogo novamente aos 25 minutos, quando Daniel Carvalho fez ótimo cruzamento e Maikon Leite perdeu gol feito. Aos 40 minutos, Barcos chutou forte, o goleiro espalmou e Maikon Leite desta vez chutou a bola na Lua.

O Guarani teve pelo menos mais três boas oportunidades de ampliar o marcador, em função do mau desempenho da defesa e do meio-campo do Palmeiras, marcando pouco e perdendo as divididas e as jogadas de velocidade.

Para o segundo tempo, Felipão apostou em Chico no lugar de Gerley para arrumar as coisas. Não surtiu efeito. E logo aos 11 minutos o Guarani ampliou o marcador. Cicinho falha, Fabinho vai livre, cruza e Bruno Mendes faz o terceiro gol bugrino.

Como dizem que desgraça pouca é bobagem, Cicinho levou o cartão vermelho aos 17 minutos, em atitude exagerada por parte do árbitro.

Seja como for, ficamos com um a menos, e a partir daí, o Palmeiras tentava alguma coisa na base do desespero, enquanto o Guarani tentava encaixar mais um contra-ataque e configurar uma goleada inesperada. O qie, felizmente, não ocorreu. Seria demais…