Palmeiras perde do Grêmio em Porto Alegre no Brasileirão

Se a partida de hoje equivaler a uma prévia de como será a semifinal da Copa do Brasil 2012, o torcedor pode aguardar duas partidas duras de encarar.

Em jogo de nível técnico sofrível, o Grêmio aproveitou uma chance em bola parada e venceu o Palmeiras por 1 a 0 em Porto Alegre na noite deste domingo (27), pela segunda rodada do Brasileirão 2012.

O empate em 0 a 0 teria sido mais justo, tal a fraqueza demonstrada pelas duas equipes.

O time dirigido por Luis Felipe Scolari veio com duas surpresas em sua escalação. Os recém-contratados Fernandinho e Felipe entraram como titulares nas vagas de Juninho e Valdívia. O lateral teve atuação discreta, enquanto o meia pouco produziu, sendo substituído na volta para a etapa final por Valdívia.

O Grêmio tentou marcar sob pressão e teve mais posse de bola, mas criou pouquíssimas jogadas no ataque. Na melhor delas, o lateral Pará, que deitou e rolou pelo lado direito da defesa alviverde (Cicinho fez um péssimo primeiro tempo), foi derrubado na área por João Vitor aos 23 minutos. Pênalti, que Leo Gago cobrou, mandando a bola no travessão de Bruno.

Barcos, aos 14 minutos, Luan, aos 38, e Marcos Assunção, aos 41 minutos, criaram as melhores chances de gol para o Palmeiras, nenhuma delas aguda.

Na etapa final, Barcos arrancou arrepios da torcida alviverde aos 5 minutos ao fazer bela jogada e finalizar bem, exigindo bela defesa do goleiro Vitor, no melhor momento ofensivo do Verdão em toda a partida. Aos 25 minutos, Felipão pisa na bola ao tirar Barcos e colocar Maikon Leite, sendo que o óbvio teria sido tirar Luan.

Um minutos depois, veio o castigo. Falta para o Grêmio. Fernando cruza na área, André Lima ganha a disputa no alto com Marcos Assunção e, de cabeça, abre o marcador.

Mesmo com o placar a favor, o Grêmio pouco criou, sendo a melhor chance a seu favor originada em falha de João Vitor, que Souza desperdiçou de forma incrível, aos 32 minutos.

Aos 34 minutos, Felipão coloca Betinho na vaga de Marcos Assunção, com o resultado esperado, ou seja, nenhum.

Aos 35 minutos, Fernando bate falta e exige bela defesa de Bruno, provavelmente o melhor jogador alviverde em campo, mesmo não tendo sido tão exigido.

Na última oportunidade de gol criada pela equipe, Luan chutou por cima aos 41 minutos. E Valdívia, a grande esperança alviverde, só foi visto reclamando da arbitragem, algumas vezes com total razão.

Aliás, no último minuto do jogo um pênalti claro sobre o zagueiro Henrique deixou de ser assinalado. Mais um.