Palmeiras perde do Ceará com o time principal em Fortaleza

Todos ficaram surpresos quando a escalação para a partida da noite deste sábado (20) em Fortaleza (CE), foi divulgada a todos. Ao contrário do que poderíamos imaginar, o time do Palmeiras encarou o Ceará com os atletas tidos como titulares, com a única alteração sendo a entrada de Gustavo Scarpa na vaga de Lucas Lima. Não seria a única surpresa, pois o time da casa venceu pelo placar de 2 a 0, pondo fim a uma invencibilidade de 33 jogos  do Verdão no torneio em 2018-19 e acionando de vez o sinal de alerta em todos.

Com sua força máxima, o Palmeiras se mostrava mais objetivo nos primeiros minutos de partida, mesmo com pouca posse de bola, mas ao mesmo tempo vacilava nas finalizações e no chamado último passe, como ocorreu nas outras três partidas desse retorno pós-Copa América.  Tanto que não criou nenhuma chance efetiva de gol, apesar de ter se aproximado muito mais do primeiro gol do que seu adversário.

Na primeira oportunidade real, no entanto, o time treinado por Enderson Moreira não titubeou. Mateus Gonçalves valeu-se de um rebote de Luan e chutou forte, no canto, sem chances para Weverton. O time sentiu, e teve uma única chance, em bom cruzamento de Marcos Rocha que Deyverson desviou fraquinho, para fácil defesa do goleiro local, que ameaçaria mais uma vez aos 50 minutos, em cobrança de falta de Ricardinho.

Na etapa final, a marca da equipe desde o início da terceira passagem de Felipão pelo clube se manteve, para tristeza de seus torcedores: não fomos capazes de virar um placar adverso. A última vitória de virada do Verdão ocorreu no dia 2 de junho do ano passado, contra o São Paulo, quando nosso treinador ainda era Roger Machado.

O time até que pressionou a equipe cearense, mas novamente sem eficiência ou real contundência. Aos 20 minutos, o árbitro marcou um pênalti a nosso favor, mas aos 24 minutos a marcação foi revertida, com o auxílio do VAR. E aos 26 minutos, o golpe final: o goleiro adversário cobra o tiro de meta, Felipe Melo desvia no meio-campo, a bola cai na entrada da área alviverde, nos pés de Leandro Carvalho, que dá um toque por cobertura e vence Weverton.

O jogo, na prática, acabou aí. O time despencou de vez e só ficou naquela irritante pressão inócua, sem criar uma única oportunidade real de gol, enquanto o time da casa deixou o tempo passar. Fica o temor pelo que poderá acontecer na terça-feira (23) na Argentina, no jogo de ida contra o Godoy Cruz, pela Libertadores. Não faltou garra ao time alviverde, como podem pensar os simplistas. Faltou futebol, o que é muito pior…

As notas dos jogadores do Palmeiras:

Weverton-5,5- Desta vez, não conseguiu fazer a diferença que fez nas partidas anteriores, embora não tenha ido tão mal quanto alguns colegas de time.

Marcos Rocha-6,0- O jogador mais lúcido do time, mesmo sem ter brilhado.

Luan-4,0- Bem abaixo do que habitualmente desempenha.

Gustavo Gómez- 4,0- Deve ter sentido os pênaltis que perdeu pelo Paraguai e pelo Palmeiras, jogando muito abaixo do normal e esbanjando nervosismo.

Diogo Barbosa- 5,5- Sem brilhar, ao menos tentou alguma coisa

Felipe Melo- 3,5- Sua pior partida no ano, com direito a falha no segundo gol.

Bruno Henrique- 4,5- Irreconhecível o capitão alviverde.

Gustavo Scarpa-3,0- Não foi visto em campo. Saiu no intervalo, substituído por Willian-4,0, que precisa ganhar ritmo e foi prejudicado pela má partida coletiva da equipe alviverde.

Dudu- 4,0- Outro que ficou devendo, longe do craque que todos conhecemos. Saiu aos 24 minutos do segundo tempo para a entrada do estreante Ramires-sem nota, que entrou com o time entregue e a derrota evidente.

 Zé Rafael- 3,0- Performance fraquíssima.. Saiu aos 9 minutos do segundo tempo para a entrada de Raphael Veiga-5,0, que foi um pouquinho melhor do que o colega, mas não o suficiente para nos levar ao menos ao empate.

Deyverson-1,0- Matou contra-ataques, perdeu oportunidades de gol e provou que está em péssima fase. No entanto, parece ser “insubstituível”, infelizmente.