Palmeiras perde de novo em casa

Mais uma vez o filme se repetiu. O Palmeiras criou boas chances de gol na etapa inicial, sofreu com a boa atuação do goleiro adversário e acabou derrotado na base dos contragolpes. Desta vez, foi a Ponte Preta quem se deu bem na tarde deste sábado (20), com uma vitória por 2 a 0 em pleno estádio Palestra Itália.

O desenho tático da partida se mostrou claro desde o apito do árbitro Leonardo Ferreira Lima. De um lado, a equipe da casa indo pra cima e tentando se valer da vantagem de jogar em casa.

Do outro, um time fechadinho e disposto a garantir no mínimo um empate, saindo para eventuais investidas ofensivas quando assim fosse possível. Simples assim.

Mesmo errando muitos passes e freqüentemente aceitando de forma passiva a marcação do time dirigido pelo fanfarrão Sérgio Guedes, o Verdão conseguiu criar algumas boas chances.

Aos 13 minutos, Cleiton Xavier cabeceou com força após ótimo cruzamento de Armero, para grande defesa de nosso velho conhecido Eduardo Martini. Um minuto depois, foi a vez de Danilo cabecear com forma e o goleiro realizar uma defesa sensacional.

Diego Souza, que vinha totalmente sumido até então, foi visto pela primeira vez em campo aos 22 minutos, quando tomou um cartão amarelo. Em seguida, aos 30 minutos, fez sua melhor jogada, um lançamento que Robert não soube aproveitar, pois chegou atrasado.

Aos 36 minutos, uma confusão na área adversária quase rendeu o primeiro gol do Palmeiras, com direito até a bom chute de Armero, mas a defesa alvinegra conseguiu se livrar do perigo.

Nosso time voltou pouco inspirado e se entregou por completo à marcação da limitada equipe de Campinas. Ainda assim, quase abrimos o marcador aos 12 minutos, quando Robert aproveitou vacilo da zaga rival para perder mais duas chances claras de gol.

O zagueiro Gualberto, que substituiu o suspenso Leo, também cabeceou boa bola aos 15 minutos, que passou perto.

A partir dos 25 minutos, a Ponte Preta começou a gostar do jogo, especialmente após a entrada do atacante Finazzi, que tornou a equipe um pouco mais eficiente nos contragolpes.

Marcos fez sua primeira grande defesa aos 25 minutos. Aos 26, Robert recebe na grande área e chuta longe. Mesmo vendo o time totalmente sem inspiração, o técnico Antonio Carlos Zago preferiu não investir em alterações, e pagou caro por isso.

Em boa jogada, a Ponte abriu o marcador aos 32 minutos, com o zagueiro Diego aproveitando o rebote de bola chutada por Finazzi na trave que a zaga alviverde ficou observando, de forma abobada.

Aos 35 minutos, enfim uma alteração, com Lenny entrando na vaga de Edinho, com Ivo ficando com o lugar de Pierre aos 38 minutos. Não deu tempo de nada. O volante alviverde mal tinha saído de campo quando Finazzi fez o segundo do time campineiro, aproveitando bom cruzamento do bom volante Tinga.

A partir daí, a partida transcorreu em irritante rotina, com o Verdão criando uma única chance aguda de gol. Pior: escapou de tomar o terceiro quando Marcos defendeu cobrança de pênalti feita por Finazzi aos 47 minutos. Game over.


uol_logoClique aqui para ouvir a Rádio Mondo Palmeiras – Edição 171.