Palmeiras perde da Chapecoense em SC

Por Fabian Chacur

Após a sofrida classificação para a semifinal da Copa do Brasil no meio da semana, era de se esperar uma queda de rendimento do Palmeiras. Mas precisava ser desse tamanho? Jogando um futebol ridículo, o Verdão conseguiu tomar uma goleada de 5 a 1 contra a fraca equipe da Chapecoense na noite deste domingo (4) em Santa Catarina pelo Brasileirão 2015. Um jogo a ser esquecido.

O início da partida foi até promissor, com o Palmeiras pressionando logo cedo o time da casa. No entanto, aos 4 minutos, o zagueiro Neto marcou de cabeça e abriu o marcador, aproveitando cobrança do primeiro escanteio a favor do time catarinense. A partir daí, o torcedor alviverde sofreu e muito.

Na base da correria e aproveitando a marcação frouxa alviverde, o time da casa chegava a cada minuto, sempre com perigo. Aos 15 minutos, Vitor Hugo leva um humilhante drible da vaca e Egídio salva. Só que o juiz vacila e o manda para a rua, erro que seria revertido quase cinco minutos depois.

Mas de nada adiantou a anulação da expulsão do nosso lateral. Aos 22 minutos, o jogador da Chapecoense faz um verdadeiro salseiro na zaga alviverde e toca para Camilo, que chuta sem chances para Fernando Prass. Aos 25 minutos, nosso goleiro evita o terceiro gol, fazendo boa defesa.

Dizem que desgraça pouca é bobagem, e aos 31 minutos Arouca saiu contundido, dando sua vaga para Andrei Girotto. Para nossa sorte, o time da casa não soube se aproveitar ainda mais dos espaços proporcionados pelo Palmeiras, que por sua vez só chegou com algum perigo aos 49 minutos com Rafael Marques, e olhe lá. Nada além disso.

Com João Pedro na vaga de Amaral, o Palmeiras conseguiu vir para a segunda etapa ainda pior do que na primeira. E dessa forma tomou logo o terceiro gol do time da casa, aos 9 minutos, com Tulio de Melo de cabeça após nova falha em cobrança de escanteio por parte da defesa alviverde.

Uma rápida esperança de reação surgiu aos 13 minutos com o gol de Dudu, aproveitando jogada que também teve origem em cobrança de tiro de canto. Mas aos 19 minutos, Apodi aproveitou rebote de Fernando Prass, que fez grande defesa, e ampliou o marcador para o time da casa. O horror, o horror.

Daí em diante, o Palmeiras até teve várias oportunidades para ao menos diminuir o placar, mas tropeçou no preciosismo e no espírito de fominha de Gabriel Jesus e na falta de inspiração do resto do time. E para coroar um jogo horrível, Ananias (aquele…) colocou números finais na inadmissível goleada por 5 a 1 contra uma equipe que é forte candidata ao rebaixamento.

As notas dos jogadores do Palmeiras:

Fernando Prass 5,0– Ficou com dor nas costas de tanto se abaixar para pegar as bolas no fundo do seu gol.

Lucas5,0– Não teve espaços para apoiar o ataque na lateral e depois não conseguiu muita coisa no meio-campo. Mas ainda assim foi o mais lúcido dos jogadores alviverdes.

Jackson5,0– Dentro de suas evidentes limitações, fez o possível.

Vitor Hugo4,0– Rara partida ruim do nosso zagueiro, que tomou até um humilhante drible da vaca no primeiro tempo.

Egídio2,0– Sem um bom sistema de cobertura, não dá para ele jogar, pois sua capacidade de marcação é nula. A má fase infelizmente prossegue…

Amaral3,0-Marcou mal e não sabia o que fazer com a bola. Saiu no intervalo substituído por João Pedro2,0– que conseguiu piorar ainda mais o que já estava ruim, ou seja, a defesa alviverde.

Arouca5,5– Estava fazendo uma partida até que razoável quando sentiu o joelho e foi substituído aos 31 minutos da primeira etapa por Andrei Girotto2,0– que não viu a cor da bola e ainda fez um caminhão de faltas.

Gabriel Jesus2,0– Não viu a cor da bola no primeiro tempo. No segundo, seu preciosismo e espirito fominha mataram contra-ataques que poderiam ter alterado o rumo da partida. Merece um banco!

Rafael Marques3,0-– Não foi visto em campo. Saiu aos 28 minutos do segundo tempo substituído por Allione-sem nota, que entrou com o jogo já definido e não conseguiu grandes coisas.

Dudu5,0– Muita garra e um gol, mas bem abaixo do que sabe jogar habitualmente

Lucas Barrios2,0– Não jogou rigorosamente nada, mas nada mesmo.