Palmeiras perde a segunda seguida no Canindé

Por Fabian Chacur

Para aqueles que reclamavam da quantidade inesgotável de placares de 1 a 1 nos jogos do Palmeiras neste Brasileirão 2011, eis que surge uma nova seqüência: derrotas por 2 a 1.

Na noite deste sábado (22) no estádio do Canindé, o Verdão apanhou novamente e pelo mesmo placar sofrido contra o Fluminense, no último fim de semana e no mesmo local. Desta feita, o vencedor foi o Figueirense. Um horror.

Mais uma vez, a equipe (mal) dirigida por Luiz Felipe Scolari abusou da falta de padrão de jogo e da apatia. Logo aos 10 minutos o time de Florianópolis abriu o marcador. Wellington deu um nó em Henrique e chutou forte, sem chances para Deola.

Se tivesse se esforçado mais, o adversário poderia ter ampliado logo o marcador, tal a incapacidade da equipe alviverde de impedir as ações do adversário. Quando avançava, Luan e sua turma mais uma vez abusavam do direito de errar passes e chutes.

A melhor oportunidade ficou a cargo de Valdívia, que aos 27 minutos bateu bem falta e exigiu difícil defesa de Wilson. Seria o chileno a tal da andorinha que, só, não consegue fazer verão?

Na etapa final, Felipão colocou Tinga no lugar de Maicon Leite, que mais uma vez não fez rigorosamente nada em campo.

Como o Figueirense preferiu ficar em seu campo esperando o adversário, a partida ficou particularmente horrível, pois o Palmeiras não soube aproveitar para conseguir alguma coisa.

Mais uma vez, foi Valdívia quem chegou mais perto do empate, ao chutar boa bola aos 17 minutos que acabou indo para escanteio, após ser rebatida pela zaga adversária.

Aos 30 minutos, Wellington Nem (quem?) fez mais uma vez a festa em cima do péssimo sistema defensivo alviverde e deu passe açucarado para que Júlio César ampliasse o marcador. Momento humor negro: logo após sofrer o segundo gol, Felipão coloca Rivaldo no lugar de Cicinho. Como diria o outro, “agora vai”! E obviamente não foi…

Irritada, a torcida a partir daí jogou a toalha e começou a xingar os jogadores e gritar olé quando a equipe de Santa Catarina começava a tocar a bola.

Aos 47 minutos, Tinga cruzou a bola e Ricardo Bueno fez de cabeça o único gol do Palmeiras. Mas, só para variar, já era tarde. Se esse time continuar desse jeito, tremo só de pensar como serão as três últimas rodadas para nós. É de dar medo!