Palmeiras não convence ninguém no Allianz Parque

Mais uma partida em casa sem vitória. Pior ainda, com uma derrota sendo decidida nos minutos finais, nos descontos.

O tempo vai passando e o time não consegue funcionar. Apesar de tantas mudanças na formação e no desenho tático, o Palmeiras não consegue nem ao menos se impor aos seus adversários do interior paulista.

Bem, o duelo contra a Ferroviária foi mais do que apenas um confronto entre duas equipes. Foi um embate entre dois estilos de futebol.

Embora o Palmeiras tenha um material humano muito melhor, o time de Araraquara era o mais aplicado taticamente e praticava um futebol mais parecido com aquilo que vemos na Europa.

Sim, enquanto Marcelo Oliveira e 95% dos treinadores brasileiros ainda se prendem a conceitos dos anos 90, o português Sergio Vieira conseguiu fazer com que o seu time pressionasse o Palmeiras com marcação adiantada, com zagueiros trocando passes no ataque, descendo em bloco, etc…

Com isso, o Palmeiras conseguiu jogar apenas nos dez minutos iniciais da primeira etapa. Depois, foi completamente dominado pela Ferroviária. O time de Araraquara travou o Palmeiras no seu campo de defesa. Todos ficaram completamente perdidos!

Apesar disso, o Palmeiras pouco foi ameaçado. O gol adversário acabou saindo numa falta. São Prass demorou pra chegar na bola que foi no seu canto, mas ele tem muito crédito…0x1.

SÃO PAULO, SP - 28.02.2016: PALMEIRAS X FERROVIÁRIA - O jogador Thiago Santos, da SE Palmeiras, disputa bola com o jogador Fernando Gabriel, da A Ferroviária E, durante partida válida pela sétima rodada do Campeonato Paulista, Série A1, na Arena Allianz Parque. (Foto: Cesar Greco / Fotoarena)

No segundo tempo, com as alterações que foram feitas, o Palmeiras conseguiu marcar um gol que abalou o adversário e criou muitas oportunidades para virar a partida. O jogo ficou aberto, lá e cá e os principais contra-ataques eram do Palmeiras.

O grande problema é que, além de organização tática, falta também confiança e atitude. Na hora de finalizar, todos tocam de lado, fogem da responsabilidade. Ninguém quer arriscar, com medo de errar ou ser vaiado.

O gol do Rafinha, nos minutos finais, foi um castigo merecido para essa covardia tão bem remunerada que temos hoje no Palmeiras.

Falta tempo para treinar? Sempre faltará, o futebol brasileiro é isso aí mesmo. O mais provável agora é que a diretoria busque um novo treinador no mercado.

Só espero que encontrem um técnico atualizado com o novos conceitos do futebol como este Sergio Vieira. Se trouxerem outro com o mesmo perfil do M.O, a “melhora” será apenas superficial e vai durar pouco tempo.

Será que ainda não deu pra aprender isso?

Abraço a todos!