Palmeiras massacra o São Paulo no Allianz Parque

O Palmeiras literalmente atropelou o São Paulo na noite desta quarta-feira (25) na Allianz Parque. O placar de 3 a 0 foi até tímido, se levarmos em conta a grande vantagem que o alviverde demonstrou, perante quase 26 mil torcedores, durante toda a partida, válida pelo Paulistão 2015.

O inicio da partida não poderia ter sido melhor para o torcedor alviverde. Seu time entrou determinado e sufocando o São Paulo. Pouco após os 2 minutos, Rogério Ceni tenta lançar bola à frente de forma atabalhoada. Robinho intercepta e, quase do meio campo, manda por cobertura. Golaço. Antológico.

O adversário tentou reagir aos 5 minutos com chute de Alexandre Pato bem defendido por Fernando Prass. Aí, Rafael Toloi vacilou em disputa com Dudu e acertou sem bola o atacante palmeirense. Resultado: tomou o vermelhinho aos 7 minutos e deixou seu time com um a menos.

A partir daí, o Palmeiras consolidou seu domínio, e Lucas aos 13 minutos, com chute de fora da área, e Tobio aos 18 minutos, na cara do gol, quase ampliaram o marcador. Muricy Ramalho tentou equilibrar as coisas aos 21 minutos, tirando Alexandre Pato e recompondo a zaga com Edson Silva. Deu, não.

Logo aos 22 minutos, Dudu avançou pela esquerda do ataque palestrino e cruzou na entrada da área. A bola passou por Robinho e Carlinhos, mas não por Rafael Marques, que dominou e fuzilou Rogério Ceni. Metade do primeiro tempo e 2 a 0 para o Verdão. Parecia sonho, mas era realidade.

Cristaldo quase faz aos 28 e aos 44 minutos. A tônica da partida nesses 45 minutos iniciais foram o time de Oswaldo Oliveira com o jogo nas mãos e o tricolor totalmente perdido, tentando se recuperar mas sem nenhuma convicção ou resultados efetivos de seus esforços.

Se o São Paulo tinha alguma esperança de se recuperar na partida, ela morreu logo aos 6 minutos da etapa final. Arouca passou para Zé Roberto, que cruzou da esquerda para a direita do ataque alviverde. Rafael Marques, de primeira e de voleio, fuzilou Rogério Ceni e emplacou o terceiro gol.

A partir daí, o que se viu foi o Palmeiras tocando a bola e gastando o tempo, e o São Paulo tentando chegar de forma tímida, aos 23 minutos com Michel Bastos e aos 29 minutos com o apagadíssimo Chico Xavier, digo, Alan Kardec. Até que Michel Bastos fez falta feia em Arouca e tomou o vermelho, aos 33 minutos.

O Verdão até tentou emplacar o quarto gol, mas sem fazer tanta força, e no fim das contas o placar de 3 a 0 ficou até de bom tamanho para os comandados de Muricy Ramalho, tamanha a superioridade alviverde. Escaparam de uma goleada histórica…

As notas dos jogadores do Palmeiras:

Fernando Prass6,0– Pouco exigido pelo hoje ineficiente ataque tricolor.

Lucas5,5– Discreto e tranquilo.

Tobio6,0– Não deu chances aos atacantes adversários.

Vitor Hugo6.0– Eficiente e seguro durante toda a partida.

Zé Roberto7,0– Comandou a equipe, deu assistência para o terceiro gol e esbanjou garra e bom futebol.

Gabriel6,0– Seguro na marcação e no meio campo.

Arouca7,0– Ótimo nos desarmes e nos passes para armar ataques e contra-ataques. Sua melhor atuação com o manto sagrado verde até o momento.

Robinho8,0– Grande partida, com direito a um gol de placa que literalmente humilhou o consagrado Rogério Ceni. Saiu aos 36 minutos do segundo tempo substituído por Alan Patrick-sem nota, que não teve tempo para muita coisa.

Rafael Marques8,0– Jogou muito, com direito a dois golaços e muita movimentação no ataque. Titular fácil, fácil.

Dudu8,0– Resolveu jogar bola e infernizou o rival, com belas jogadas e assistência perfeita para um dos gols. Saiu aos 39 minutos do segundo tempo para a entrada de Leandro Pereira-sem nota, sem tempo para nada.

Cristaldo6,0– Muita raça e disposição, como de praxe. Saiu aos 14 minutos do segundo tempo dando sua vaga a Gabriel Jesus-5,0, que atuou de forma tímida, embora correndo bastante.