Palmeiras joga muito mal e perde para a Portuguesa

Em partida na qual rigorosamente nenhum jogador alviverde jogou de forma ao menos razoável (com a possível exceção de Thiago Heleno), o Palmeiras perdeu por 3 a 0 para a Portuguesa na noite desta quarta-feira (29) no estádio do Canindé. O resultado mantém o time na zona do rebaixamento do Brasileirão 2012 e mostrou que a opção do time da casa pelos contra-ataques foi perfeita.

A etapa inicial teve como marca a mediocridade das duas equipes, que abusaram das faltas, passes errados e simulação de faltas, embora o juiz tenha deixado de dar algumas, especialmente em Valdívia. Mas nada que justifique o fato de o camisa 10 alviverde ficar no chão o tempo todo e reclamando muito. Resultado: terceiro amarelo. Não joga contra o Grêmio. Outra partida fora do time, só para variar…

A rigor, não tivemos grandes oportunidades de gol, embora tenhamos tido o domínio de bola. A Lusa, jogando fechada e tentando aproveitar vacilos alviverdes teve as duas melhores chances, com Moisés cabeceando livre aos 7 minutos (a bola saiu fraca) e aos 38 com Ananias, o melhor em campo, que exigiu boa defesa de Bruno.

Maikon Leite voltou para o segundo tempo no lugar de Betinho, mas quem mostrou reação foi a Portuguesa. Aos 4 minutos, Ananias recebeu pelo setor esquerdo da defesa alviverde, deu o drible da vaca em Corrêa e cruzou. Leandro Amaro escorregou e Bruno Mineiro, livre e sem sair do chão, abriu o marcador. Sete defensores alviverdes contra dois lusos.

Leandro Amaro tomou amarelo aos 8 minutos, e aos 12, Ananias perde gol feito. A partir daí, o Palmeiras tentou de todas as formas fazer alguma coisa, mas sempre errando os passes decisivos, chutando bolas na lua ou não sabendo aproveitar a posse de bola que o adversário, fechadinho na defesa, lhe permitia.

Felipão tentou mudar, com as entradas de Obina e Márcio Araújo nas vagas dos inoperantes Corrêa e Mazinho, mas a dupla conseguiu repetir as más atuações dos colegas.

Aos 24 minutos, em boa jogada da Portuguesa, Bruno espalma, a bola vai na trave e, no rebote, Bruno Mineiro faz a festa. Dois a zero Lusa.

A partir daí, Márcio Araújo e sua turma continuaram abusando do direito de errar passes e finalizar de forma bisonha, enquanto a Portuguesa de Geninho só aguardava para contra-atacar e matar o jogo. O que ocorreu aos 39 minutos, com Moisés finalizando com segurança jogada criada por Diego Viana.