Palmeiras joga mal e perde do Botafogo no Rio

Por Fabian Chacur

A partida da noite desta quarta-feira (31) tinha tudo para dar errado para o Palmeiras. Frio, chuva, desfalques importantes, escalação absurda, adversário motivado e em ótima fase…

Não deu outra: 3 a 1 para o Botafogo no Engenhão. Um mau início de segundo turno no Brasileirão da equipe palmeirense.

Um verdadeiro bloco de ausências importantes marcou o Verdão nesta partida. Valdívia, Kleber, Luan e Maicon Leite ficaram de fora.

Para suprir a falta desses jogadores, Felipão veio com a equipe repleta de volantes e com apenas Fernandão no ataque. Pelo visto, o objetivo era jogar fechadinho e tentar algo no contra-ataque.

Para azar de nosso treinador, logo de cara o Botafogo abriu o marcador, com Herrera cabeceando livre de marcação após cobrança de escanteio aos 3 minutos.

Aos 19 minutos, quase Maicosuel aumenta o marcador, em chute forte mandado para escanteio por Deola.

No entanto, o time carioca não desperdiçou nova chance, e ampliou o marcador aos 22 minutos. Novo cruzamento de bola parada encontrou o ex-palmeirense Gustavo livre, para conclusão certeira.

Aos 34 minutos, Felipão/Murtosa tentaram de novo o esquema de mudar o time ainda em sua etapa inicial, com o estreante Ricardo Bueno ganhando a vaga do só para variar péssimo Tinga. Mas dessa vez, o resultado não foi positivo.

Contundido, Thiago Heleno teve de sair e dar lugar para Leandro Amaro na etapa final.

O Palmeiras até que veio para cima, mas abusando do direito de não conseguir criar chances reais de gol, errando passes e irritando o torcedor com chutes péssimos de fora da área.

E isso com o Botafogo se mostrando desinteressado, apenas administrando sua boa vantagem.

Não deu outra. Aos 17 minutos, em contra-ataque rápido, Maicosuel fez 3 a 0 para o Botafogo. Só para doer mais, o segundo gol de ex-palmeirense na partida.

A partir daí, tivemos o Palmeiras totalmente incapaz de criar qualquer jogada efetiva, e o time treinado por Caio Junior tocando a bola e esperando o fim da partida.

Aos 38 minutos, ocorre pênalti em João Vitor, não marcado, e aos 46 minutos, a primeira bola que efetivamente chegou à meta alvinegra. Curiosamente, entrou, em cobrança de falta de Marcos Assunção que desviou em Gustavo e entrou.

No fim das contas, 3 a 1 para o time carioca, e mais uma fraca apresentação alviverde fora de casa.