Palmeiras fica no 0 a 0 contra o ASA na Copa do Brasil

Um time que está há 270 minutos sem fazer um único gol só pode apavorar a sua torcida. Eis o que está fazendo o Palmeiras atualmente. Na noite desta quarta-feira (27), o time conseguiu a “façanha” de empatar sem gols em plena Allianz Parque contra o Asa, pela Copa do Brasil. No jogo de volta, um empate com gols o classificará. Mas dá para aceitar um resultado desses?

O perfil do jogo era bastante previsível antes do apito do juiz, e se confirmou logo nos primeiros minutos. O Palmeiras, com lentidão e pouca imaginação, dominava a posse de bola, perante um Asa totalmente defensivo e apostando apenas em algum contra-ataque salvador, se tanto.

Aos 11 e aos 13 minutos, duas raras oportunidades que surgiram pelas laterais do campo, finalizadas respectivamente por Cristaldo e Alan Patrick, sendo que apenas a segunda causou um pouco mais de temor no adversário, que deu só um chute a gol, e horrível, logo aos 14 minutos.

Outro lance mais efetivo de gol, e nem tão efetivo assim, foi ocorrer apenas aos 27 minutos, com outro arremate de Alan Patrick para fora. Os laterais Lucas e Egídio e o meia Kelvin até que tentaram abrir espaços, mas quando chegava a hora da finalização a gol, nada. Simplesmente nada. Para irritar monge tibetano.

No segundo tempo, o enredo do samba se manteve muito parecido. A diferença ficou por conta do número de chances de gol criadas, que aumentou a partir dos 28 minutos. Mas a incompetência da equipe alviverde na hora das finalizações superou os limites da paciência para os torcedores. Um horror.

O gol poderia ter saído entre os 42 e os 44 minutos, mas Kelvin, Leandro Pereira (principalmente) e Lucas não tiveram competência para marcar. E o pior quase ocorreu aos 44 e 45 minutos, com dois chutes perigosíssimos do Asa, melhores do que os do Palmeiras, nos quais Fernando Prass fez milagres. De doer!

No fim das contas, o time terá de encarar o adversário em julho precisando de ao menos um empate com gols. Coisa ridícula, pois a obrigação era golear esse time de terceira divisão. Fica o coral: ah, é domingo, ah, é domingo. Se perder do Corinthians de Tite, Oswaldo balançará feio.

As notas dos jogadores do Palmeiras:

Fernando Prass7,0– Quando o Asa ameaçou, no finalzinho, fez duas grandes defesas e nos livrou de mais um vexame indescritível.

Lucas5,0– Lutou e mostrou serviço, embora tecnicamente abaixo da sua média.

Jackson6,0– O melhor da defesa.

Vitor Hugo4,5– A irregularidade de sempre

Egídio5,0– Deu o sangue, mas ainda está fora de jogo.

Gabriel5,0– Sozinho na marcação. Aí, fica difícil.

Arouca5,0– Muita garra, mas ainda sem ritmo de jogo. Saiu aos 27 minutos do segundo tempo substituído por Cleiton Xavier-5,0, que foi bastante discreto.

Kelvin6,0– Buscou o jogo, mas não teve êxito, e perdeu gol feito no final.

Valdivia4,0– Até se esforçou, mas está muito mal em termos técnicos, o que é a sua principal qualidade. Sem magia alguma.

Alan Patrick4,5– Bem fraco na armação e nos arremates a gol. Saiu aos 11 minutos do segundo tempo substituído por Zé Roberto-5,0, que foi um pouco melhor, mas nada de memorável.

Cristaldo4,5– Lutou, mas sozinho. Substituído aos 20 minutos do segundo tempo por Leandro Pereira-4,0, que não jogou nada e ainda perdeu o gol mais feito da noite.