Palmeiras estreia com vitória na Copa do Brasil

a palmeiras

Por Fabian Chacur

Em partida truncada na qual o gramado molhado atrapalhou bastante, o Palmeiras estreou na Copa do Brasil na noite desta quarta-feira (12) com uma vitória por 1 a 0 contra a equipe do Vilhena, em Rondônia. O resultado não permitiu ao Verdão eliminar o jogo de volta, mas ao menos proporcionará a classificação para a próxima fase do torneio com um simples empate.

Se o campo do Vilhena já não seria uma beleza em condições normais, com a chuva que caiu antes da partida as coisas pioraram ainda mais. O Palmeiras até tentou jogar, mas o time da casa, mesmo limitado, mostrou-se muito aplicado e entrosado, travando o desenvolvimento do nosso meio-campo.

A primeira chance razoável de gol do Verdão ocorreu em chute de Alan Kardec que desviou e foi para escanteio aos 13 minutos. Fernando Prass fez boa defesa aos 22 minutos, enquanto Valdivia foi parado por uma poça gigante e pelo goleiro adversário, quando estava na área do Vilhena aos 24 minutos e com boas chances de marcar o gol.

Juninho quase faz aos 27 minutos, em cobrança de falta, enquanto Edilsinho, o jogador mais consciente do time local, chutou para fora a melhor oportunidade de sua equipe aos 29 minutos, em visível impedimento que o árbitro e o bandeirinha simplesmente ignoraram. E João Leandro obrigou Fernando Prass a outra boa defesa aos 32 minutos.

O início do Palmeiras na segunda etapa foi muito bom, com Juninho acertando dois bons cruzamentos que Alan Kardec, logo aos 26 segundos, e Vinícius, aos 7 minutos, finalizaram para fora. Valdivia, por sua vez, perdeu gol em cruzamento feito por Patrick Vieira. O gol parecia próximo.

Uma cabeçada para fora de Egúren aos 9 minutos, em nova assistência bem feita por Juninho, marcou o momento em que o Palmeiras começou a perder o fôlego. Aos 19 minutos, Gilson Kleina mexe e coloca Mendieta e Leandro nas vagas de Patrick Vieira e Vinícius. Inicialmente, não deu muito certo, especialmente no caso do meia paraguaio.

Fazendo muitas faltas e truncando o jogo, o Vilhena ameaçou o gol alviverde aos 20 minutos, quando Fernando Prass pôs para escanteio chute perigoso de João Leandro. Quando viu que o jogo caminhava para o empate, Kleina arrisca tudo e tira o volante Egúren, colocando Bruno Cesar para dar uma agitada.

Aos 42 minutos, enfim o gol. Bruno Cesar ganha na raça do jogador do Vilhena e cruzou bola açucarada para Leandro. O atacante dominou e chutou com segurança, abrindo o marcador. Mas aí já era tarde para conseguir o segundo gol, com o time local fazendo muita cera e o juiz dando só três minutos de tempo adicional.

As notas dos jogadores do Palmeiras:

Fernando Prass- 7,0 – Muito seguro nas poucas vezes em que foi exigido pelos jogadores adversários.

Wendel- 5,0 – Regular em termos defensivos e pouco efetivo no apoio, provavelmente por orientação do treinador.

Lúcio- 6,0 – Discreto na marcação, mas sem falhas, e mais contido em suas subidas ao ataque.

Marcelo Oliveira- 5,0 – Vinha até bem quando, no segundo tempo, cometeu ao menos duas falhas bizarras que quase resultam em gols do adversário.

Juninho- 6,5– Se errou um pouco demais as bolas paradas, proporcionou ótimas assistências aos colegas, especialmente no segundo tempo.

Egúren- 5,5– Melhor do que em partidas anteriores, com mais acertos de passe e marcação mais eficiente. Saiu aos 34 minutos substituído por Bruno Cesar – 6,0-, que se esforçou bastante no pouco tempo em que ficou em campo e criou a jogada que resultou no gol palmeirense.

França- 6,0– Bastante regular na marcação e esforçado na criação. Se continuar evoluindo pode se tornar titular no meio campo alviverde

Valdivia- 5,5– Apanhou muito, reagiu e tomou o amarelinho regulamentar. Não era jogo para ele em um gramado tão ruim, mas não fugiu do pau e fez o que pode.

Patrick Vieira- 4,5– Como atacante, correu muito, mas sem muita efetividade no primeiro tempo. No segundo, fraco como meia. Saiu aos 19 minutos substituído por Mendieta- 3,0– que não foi visto em campo.

Alan Kardec- 5,5 – Como a bola não chegava, ele teve de sair da área e não conseguiu grande coisa, rendendo menos do que o habitual.

Vinícius-4,0 – Não conseguiu superar a marcação adversária e pouco apareceu. Foi substituído aos 19 minutos por Leandro- 6,0-, que se não foi um Evair ao menos estava no lugar certo para fazer o gol da vitória.