Palmeiras empata no último minuto contra o Atlético-MG

Um empate em casa na estreia do Brasileirão 2015 não pode ser considerado um bom resultado. No entanto, a coisa poderia ter sido pior na noite deste sábado (9) na Allianz Parque. Não fosse o oportunismo de Rafael Marques e o Palmeiras teria perdido do time reserva do Atlético-MG. No fim, a igualdade por 2 gols mereceu até mesmo ser comemorada, por absurdo que possa parecer.

O primeiro tempo da partida foi típica de início de campeonato. De um lado, o time visitante jogando fechado e arriscando contra-ataques pouco eficientes. Do outro, o mandante Palmeiras abusando dos passes errados e da displicência de alguns jogadores, entre os quais Valdivia.

Enquanto o Verdão teve como melhores oportunidades três finalizações não muito eficientes de Valdivia, duas delas em cabeçadas (que não é o seu forte) o time mineiro levou perigo com Maicosuel aos 27 minutos, exigindo difícil defesa de Fernando Prass com o pé direito. Jogo duro de aguentar.

Para nossa infelicidade, o Atlético-MG voltou melhor, e com apenas 5 minutos de jogo abriu o marcador, com Patric aproveitando o espaço do lado esquerdo da defesa alviverde e fuzilando Fernando Prass. O Palmeiras sentiu o gol, e o time do treinador Levir Culpi continuou pressionando nos contra-ataques.

Mesmo com várias alterações, os comandados de Oswaldo Oliveira não pareciam capazes de reverter a desvantagem no marcador, tal a falta de inspiração na hora das finalizações. Aos 36 minutos, no entanto, sai o gol de empate. Robinho cobra escanteio e Vitor Hugo cabeceia com força.

Nem deu para comemorar muito. Aos 40 minutos, em contra-ataque certeiro, Jô  marcou o segundo gol atleticano. Os mineiros tiveram ao menos mais duas chances para matarem a partida, mas Fernando Prass fez defesa maravilhosa aos 45 nos pés de Maicosuel, e Jô vacilou em outro contra-ataque bastante perigoso para o Galo.

A derrota parecia certa quando naquele famoso “último ataque” um cruzamento encontrou Rafael Marques livre na área atleticana. O atacante não titubeou e ao menos diminuiu o tamanho do prejuízo alviverde. Menos mal, embora um gosto amargo tenha prevalecido na boca do torcedor do Palmeiras.

As notas dos jogadores do Palmeiras:

Fernando Prass- 7,5– Salvou o time de uma derrota que parecia certa.

Lucas- 5,5– Atuação discreta, especialmente no apoio.

Victor Ramos-6,0– Muita garra durante todo o jogo.

Vitor Hugo-6,0– Irregular na defesa, mas fez um gol salvador.

Zé Roberto-7,0– De longe o jogador mais lúcido do Palmeiras em campo.

Gabriel-6,0– Sobrecarregado na marcação, sofreu bastante. Saiu aos 26 minutos do segundo tempo substituído por Alan Patrick-4,0, que não foi visto em campo, a não ser em passes errados.

Robinho-6,0– Deu a assistência para o gol de Vitor Hugo, o que salvou uma partida um pouco apagada.

Valdivia-5,5– Pouco brilho e finalizações displicentes de um jogador de quem se esperava muito mais. Saiu aos 14 minutos do segundo tempo substituído pelo estreante Egídio-4,5, que mostrou falta de jogo e pouco fez.

Rafael Marques-6,0– Abaixo do que pode fazer habitualmente, mas ao menos teve a frieza para fazer o salvador gol de empate no último minuto.

Dudu-4,5– Muito esforçado, mas tecnicamente bastante fraco, provavelmente ainda sentindo a expulsão contra o Santos. Saiu aos 26 minutos do segundo tempo substituído por Kelvin-5,0, que foi apenas regular.

Gabriel Jesus-5,0– Quase faz um golaço no segundo tempo, mas passou a partida inteira jogando fora de sua posição, que é pelos lados do campo. Como centroavante enfiado já deu para ver que ele não sabe jogar. Ponto.