Palmeiras empata em cima da hora na Terra da Pamonha

henrique_piracicaba2


Em jogo repleto de alternativas e falhas das defesas das duas equipes, o Palmeiras empatou na noite deste domingo (2) em Piracicaba contra o XV de Novembro local pelo placar de 3 a 3. O empate alviverde saiu aos 47 minutos do segundo tempo, e mantém o time na zona intermediária do Paulistão 2013.

Com quase dez mil pessoas presentes, a partida começou com a equipe local a mil por hora. Aos 2 minutos, já estavam na frente no marcador. O lateral Janilson aproveitou a avenida à sua frente pelo lado direito da defesa do Palmeiras e cruzou para Márcio Diogo, livre de marcação, empurrar a bola para o fundo da rede.

Animado pelo gol, o XV foi para cima e por pouco não amplia o marcador aos 5 minutos, com Paulinho, e aos 9 minutos, com Jairo. Maikon Leite teve a primeira oportunidade alviverde, mas chutou fraco. O esquema com três atacantes proposto por Gilson Kleina se mostrava desastroso, levando-se em conta o fraco poder de marcação do seu meio-campo comandado por Márcio Araújo e Wesley.

Aos 20 minutos, Barcos teve rara chance e obrigou o goleiro Bruno Fuso a realizar grande defesa, pelo fato de a bola ter sido desviada no meio do caminho. Aos 26 minutos, Paulinho assustou a torcida do Verdão, enquanto Adriano testou os reflexos de Fernando Prass aos 31 minutos.

Para ficar claro o quanto a coisa estava feia para o nosso lado até então, aos 31 minutos o XV já havia tido oito finalizações ao gol, contra apenas duas do seu adversário famoso. Aos 35 minutos, o auge: a zaga alviverde quase faz um grotesco gol contra, salvo por Márcio Araújo, justiça se faça.

Como diz aquela célebre chavão das arquibancadas, quem não faz, toma. E o time interiorano pagou caro por perder tantas chances. Henrique recebeu bom passe em cobrança de escanteio, dominou com classe e fez gol de matador, aos 38 minutos. Por pouco o Verdão não vira o jogo logo a seguir, com Vinícius.

Jairo, pouco tempo depois, por pouco não faz para o XV aos 42 minutos, com boa defesa de Fernando Prass e pouco antes de Valdivia, que não fez boa partida (mas se esforçou bastante), levar cartão amarelo.

Como forma de dar mais consistência ao jogo do seu time, Kleina voltou para a etapa final com João Denoni na vaga de Vinícius. E deu certo. Logo aos 7 minutos, o até então fraquíssimo Márcio Araújo arriscou uma investida ao ataque, fez boa jogada e chutou sem muita força. O goleiro adversário aceitou. Verdão na frente.

Durante os próximos 20 minutos, o Palmeiras passou a dominar a partida por completo, mas tropeçou na falta de capacidade de criar chances agudas de gol, e também na incapacidade na hora de finalizar. Nem é preciso dizer que foi a nossa vez de sermos punidos pela bola.

Aos 28 minutos, Márcio Araújo entrou em Diguinho de forma atabalhoada dentro da nossa área, cometendo um pênalti desnecessário e absurdo. Diguinho mesmo bateu bem e empatou mais uma vez, animando seus colegas e empurrando o time da casa novamente para o ataque.

De tanto tentar, o XV conseguiu a virada aos 37 minutos, pouco depois de ter perdido um gol incrível. Vinícius Bovi aproveitou o rebote de bola que bateu no travessão e marcou o terceiro gol da sua equipe. O jogo estava nas mãos do time da Terra da Pamonha, e não fosse boa saída do gol de Fernando Prass, Paulinho, livre, teria feito o quarto gol e liquidado o jogo aos 46 minutos.

Aos 47 minutos, quando todos já encaravam a derrota para o time de Piracicaba como favas contadas, João Denoni jogou a bola na área e novamente Henrique, desta vez de cabeça, fez o gol que nos garantiu ao menos um empate contra o fraco, mas esforçado adversário.