Palmeiras empata com o Tucumán na Argentina

Jogando com um jogador a menos desde os 20 minutos do primeiro tempo, o Palmeiras ainda assim teve capacidade para arrancar um empate pelo placar de 1 a 1 contra a equipe do Atlético Tucumán, na noite desta quarta-feira (8) em Tucumán, Argentina, em sua estreia na Libertadores 2017. O resultado poderia ter sido ainda melhor, não fosse essa desvantagem numérica, mas foi bom.

A partida começou com muito entusiasmo por parte do time da casa e com o Palmeiras fechado, mas sem finalizações, tanto que o primeiro lance de nota foi o cartão amarelo dado a Vitor Hugo aos 18 minutos. Logo a seguir, Keno faz grande jogada e cruza para Borja, que finaliza e exige boa defesa do goleiro adversário, que estava bem colocado.

Aos 20 minutos, Vitor Hugo toma o segundo amarelo, seguido do vermelho, e é expulso. Eduardo Batista opta por sacrificar Michel Bastos, que aos 23 minutos deu sua vaga ao zagueiro Antônio Carlos. E aos 24 minutos, o gol do Tucumán: Zampedri, em boa finalização no meio da zaga que venceu Fernando Prass.

Perdendo a partida e com um a menos, o Verdão ficou durante alguns minutos meio que perdido em campo. Aos 26 minutos, um arremate de Placido passou perto da meta alviverde. Aos poucos, o jogo voltou a se equilibrar, e aos 32 minutos, Borja finaliza bem e o goleiro põe para escanteio.

Aos 38 minutos, novo susto, com Fernando Prass espalmando e salvando em chute de longa distância. Aí, aos 39 minutos, sai o gol do Palmeiras. Dudu bate falta, Thiago Santos desvia de cabeça e Keno finaliza para o fundo da meta argentina, conseguindo o empate em momento importante da partida.

Com mais confiança, o Verdão tenta a virada aos 44 minutos, novamente após cobrança de falta que o goleiro do time argentino conseguiu defender. Aos 45 minutos, Menendez quase marca para o Tucumán, mas a bola foi cabeceada para fora, para alivio da torcida alviverde.

Sem afobação, o Palmeiras voltou mais compacto para a segunda etapa, na base das duas linhas de quatro e tentando fechar os espaços para as jogadas de seu adversário, bastante limitado em termos técnicos e adepto dos cruzamentos na área. Eles mantinham a posse de bola, mas sem muita eficiência.

O Verdão ensaiava um contra-ataque para matar o jogo, e isso quase ocorreu aos 10 minutos, mas Dudu foi travado quando iria arrematar, livre, na área adversária. Aos 13 minutos, Menendez arremata para fora, após bom ataque. Aos 15 minutos, Borja recebeu bom passe de Dudu, mas mandou para fora.

O desenho tático da partida não se alterou até o final, pois tanto o time da casa demonstrou imensa incompetência para aproveitar o jogador a mais que tinha em campo, como o Palmeiras não conseguiu encaixar o sonhado contra-ataque para levar os três pontos para São Paulo. E o empate prevaleceu.

As notas dos jogadores do Palmeiras:

Fernando Prass7,0– A segurança de sempre, sem culpa no gol.

Jean6,5– Um pouco irregular na defesa, mas apoiou bem o ataque.

Edu Dracena6,5– Partida de regular para boa, especialmente no segundo tempo, quando demonstrou mais segurança.

Vitor Hugosem nota– Levou dois amarelos com apenas 20 minutos de jogo, sendo expulso e prejudicando o time.

Zé Roberto7,0– Correu durante a partida toda e ajudou muito nas horas mais complicadas da partida.

Thiago Santos7,0– Bem na marcação, que é o seu forte.

Felipe Melo6,5– Um pouco abaixo do colega de “volância”, mas ainda assim deu conta do recado;

Michel Bastossem nota– Ficou apenas 23 minutos em campo, dando sua vaga para Antônio Carlos7,0-, que entrou em roubada e demonstrou muita personalidade e segurança.

Dudu7,5– Esteve presente na maior parte das oportunidades de gol alviverde, e não fugiu da partida um único minuto.

Keno8,0– Muita movimentação, garra e desenvoltura, além de um gol de puro oportunismo. Saiu aos 18 minutos do segundo tempo substituído por Róger Guedes-6,0, que foi apenas discreto.

Borja6,5– Mostrou muita presença de área, mas não estava com a pontaria afiada, pois teve três chances claras e não conseguiu marcar. No entanto, deu provas de que é mesmo o goleador de que precisávamos. Saiu aos 40 minutos, dando sua vaga a Willian-sem nota, que não teve tempo para muita coisa.