Palmeiras empata com o Cruzeiro em Araraquara

Em partida na qual caiu bastante de rendimento na etapa final, o Palmeiras não passou de um empate por 0 a 0 contra o Cruzeiro na noite desta quinta-feira (13) em Araraquara (SP). O resultado mantém o Verdão na liderança do Brasileirão 2016, embora não possa ser considerado bom por ter sido obtido em jogo no qual o mando de jogo era nosso. Mas, dos males, o menor.

O primeiro tempo teve como marcas algumas boas jogadas em termos técnicos e muita disposição por parte dos atletas, com direito a algumas faltas mais ásperas. A primeira chance alviverde veio aos 3 minutos, com bom arremate de Dudu que passou perto da meta de Rafael, o substituto de Fábio.

Aos 4 minutos, Gabriel Jesus foi espero pela ponta direita do ataque palmeirense e cruzou bem, mas Dudu acabou cabeceando para fora. O Cruzeiro chegou com perigo aos 6 minutos, com Jailson mostrando segurança e defendendo um bom arremate do raçudo atacante argentino Abila.

O Verdão foi crescendo na partida e criou algumas boas oportunidades. Aos 14 minutos, Gabriel Jesus recebeu belo passe de Tchê Tchê e ficou cara a cara, mas arrematou para fora. Ao 15 minutos, Jean mandou uma bomba, mas a zaga cruzeirense consegui rebater a bola para fora da área.

Aos 16 minutos, foi a vez de Moisés exigir uma defesa importante por parte de Rafael. O Cruzeiro contra-atacou aos 20 minutos, quando Rafinha ganhou de Jean e entrou na área, mas felizmente mandou a bola para fora. Aos 23 minutos, Róger Guedes chutou com força, e a bola foi para fora.

O time mineiro acertou a marcação no meio, e a partir dos 25 minutos o Palmeiras sentiu maiores dificuldades para chegar na meta adversária. Aos 27 minutos, Robinho chutou para fora.

Aos 34 minutos, foi a vez de Abila receber livre na área, mas sem conseguir chutar. O Verdão ainda ameaçaria o Cruzeiro aos 45 minutos, com Rafael espalmando cobrança de falta de Jean, mas Vitor Hugo não soube aproveitar o rebote e chutou para fora.

Logo a 3 minutos da etapa final, Rafael saiu bem do gol e salvou a bola nos pés de Róger Guedes. Esse início promissor, no entanto, se mostrou enganoso, pois o Cruzeiro rapidamente passou a dominar as ações. Aos 4 minutos, o zagueiro Bruno Rodrigo cabeceou para fora, após cobrança de falta.

Aos 6 minutos, foi a vez de Rafael Sobis cabecear para fora, após cobrança de escanteio. A coisa ficou muito feia aos 17 minutos, quando Robinho recebeu belo passe de Rafael Sobis e tocou para o gol. Sorte que Zé Roberto, de forma milagrosa, conseguiu salvar a bola em cima da linha. De arrepiar.

O time treinado por Mano Menezes continuou ameaçando, como aos 20 minutos, quando Bryan recebeu boa bola, mas chutou mal, dentro da área alviverde. Para se ter uma ideia da superioridade mineira, o Palmeiras só teve uma nova oportunidade aos 25 minutos, em chute errado de Rafael Marques.

Aos 33 minutos, Henrique poderia ter aberto o placar, mas chutou para fora. O Verdão deu esperanças à sua torcida aos 44 minutos, mas Ezequiel conseguiu evitar a finalização de Alecsandro. E logo a seguir, o último susto: Willian recebe livre e chuta, com a bola batendo na trave. Que sufoco!

As notas dos jogadores do Palmeiras:

Jailson7,5– Seguro, ainda contou com a sorte no finalzinho.

Jean5,5– Caiu demais no segundo tempo, junto com o time.

Edu Dracena7,0– Esbanjou garra e salvou o time em diversos momentos.

Vitor Hugo6,0– A garra de sempre, mas sem muito brilho.

Zé Roberto7,5– Esbanjou dedicação e de quebra salvou um gol certo.

Thiago Santos7,0– Muito bem no desarme, melhorou nos passes.

Tchê Tchê6,0– Fez um bom primeiro tempo, mas caiu no segundo.

Moisés5,0– Não esteve muito inspirado. Saiu aos 31 minutos do segundo tempo substituído por Alecsandro-5,0, que quase faz o gol da vitória no finalzinho, mas não conseguiu finalizar.

Dudu6,5– Vinha bem na partida, mesmo sem ser brilhante. Saiu aos 26 minutos do segundo tempo, dando sua vaga a Cleiton Xavier-3,0, que não foi visto em campo.

Róger Guedes6,0– Fez um bom primeiro tempo. Saiu aos 12 minutos do segundo tempo substituído por Rafael Marques-4,0, que mais uma vez foi só esforçado, não jogando absolutamente nada em termos ofensivos.

Gabriel Jesus6,0– Correu bastante e incomodou a zaga cruzeirense, mas perdeu ao menos um gol feito no primeiro tempo. Estava evidentemente cansado, algo compreensível.