Palmeiras empata com o Coritiba no Couto Pereira

Torcida pode ajudar e também pode atrapalhar o time para o qual torce. O segundo caso teve um bom exemplo na noite desta quarta-feira (15) no estádio Couto Pereira, em Curitiba. Por causa de sinalizadores acendidos por torcedores alviverdes, a partida contra o Coritiba pelo Brasileirão 2016 acabou se estendendo além da conta. E aos 49 minutos, saiu o empate dos paranaenses, 2 a 2. Um horror! Mas estamos na liderança provisória do torneio.

O início do confronto parecia bem favorável para o Verdão, pois Róger Guedes arrematou boa chance para fora com apenas 33 segundos de jogo. Aos 6 minutos, o mesmo Róger recebeu passe, superou o zagueiro adversário e arrematou com força, sem chances para o goleiro do Coxa. Mais promissor, impossível.

Mas o Palmeiras não soube conter o ímpeto do Coritiba, que mesmo sem muita qualidade técnica soube fazer uma marcação forte e foi se aproximando da meta alviverde. Aos 19 minutos, Ruy cobra falta e João Paulo desvia de cabeça, livre de marcação. A velha vacilada nas jogadas de bola parada…

A partir deste momento, o jogo ficou ainda mais disputado, com direito a muitas disputas em cada nova jogada. Aos 30 minutos, Gabriel Jesus recebeu belo lançamento, mas na hora de chutar foi travado pelo zagueiro do time paranaense. O jogo foi morno até o finalzinho, mas acendeu de novo.

Aos 46 minutos, Juninho cabeceou forte e Fernando Prass desviou para escanteio, em mais uma jogada originária de cobrança de falta na qual a marcação alviverde foi falha. Logo a seguir, Juninho mandou uma bomba para gerar nova defesa de Prass. Na sequência, aos 49 minutos, foi a vez de Róger Guedes quase fazer o segundo, com chute que passou perto do gol do Coxa.

Com Cleiton Xavier na vaga de Thiago Santos, o Palmeiras voltou melhor e quase marca aos 30 segundos. Ruy obrigou Prass a fazer boa defesa aos 9 minutos, em cobrança de falta. Aos 13 minutos, foi a vez de Gabriel Jesus experimentar o goleiro adversário, que pôs a bola para escanteio.

O Verdão chegava cada vez mais perto do segundo gol. Aos 19 minutos, Moisés arremata para fora, após receber passe de Cristaldo, que havia acabado de entrar na vaga de Rafael Marques. E aos 23 minutos, o Churry nos colocou à frente do marcador, em jogada iniciada em cobrança de lateral de Moisés que Gabriel Jesus ajeitou para o atacante argentino finalizar de cabeça.

A partir daí, o time da casa veio pra cima do jeito que dava, mas o Palmeiras conseguia controlar o seu ímpeto, perdendo por sua vez boas chances para ampliar o marcador errando o passe final. Após a paralização por causa dos raios dos sinalizadores, o Coritiba consegue o empate, ironicamente com belo chute de Leandro, o Calopsita, aquele. Enfim…

As notas dos jogadores do Palmeiras:

Fernando Prass6,5– Boa partida, não teve culpa nos gols.

Tchê Tchê6,5– Incansável, correu por todas as partes do campo.

Thiago Martins4,5– Errou passes, tomou cartão na parte inicial da partida e mostrou-se bastante inseguro. Tomou o terceiro amarelo, não joga contra o Santa Cruz.

Vitor Hugo7,0– Um bom retorno, seguro e sem vacilos.

Zé Roberto6,5– Bem no apoio e na marcação, outo incansável.

Thiago Santos4,5– Muito faltoso, tomou um amarelo logo no início e ficou pendurado cedinho. Saiu no intervalo dando lugar para Cleiton Xavier6,0-que se não brilhou, conseguiu agilizar o jogo alviverde.

Jean5,5– Discreto durante toda a partida.

Moisés7,0– Um dos melhores em campo, com muitos desarmes e bons passes, além de chegar na frente em alguns momentos.

Róger Guedes7,5– Muito bem em campo, com direito a um golaço e muita movimentação. Saiu aos 39 minutos do segundo tempo substituído por Edu Dracena-sem nota, que não teve tempo para muita coisa e não comprometeu.

Gabriel Jesus6,5– Se não foi brilhante, ao menos se mexeu bastante e atrapalhou a vida da zaga do Coritiba.

Rafael Marques5,0– Bastante disposição e garra, mas técnica abaixo do desejável. Saiu aos 15 minutos do segundo tempo substituído por Cristaldo7,0-, que voltou com direito a um gol de puro oportunismo e muita disposição no ataque alviverde.