Palmeiras empata com o Boca na Allianz Parque

O torcedor alviverde precisa se benzer. Após conseguir marcar um gol aos 44 minutos do segundo tempo, o que parecia garantir uma vitória suada e histórica, a equipe conseguiu sofrer outro gol aos 46 minutos. Resultado: empate na noite desta quarta-feira (11) contra o Boca Juniors em uma Allianz Parque novamente lotada, na qual o torcedor deu o show, e merecia a vitória, que não veio.

Com forte apoio da torcida, o Palmeiras começou a partida de forma promissora, com Dudu cabeceando para fora aos 3 minutos, em cruzamento de Keno. O Boca assustou aos 6 minutos com um cruzamento que passou perto da nossa meta. A partir daí, predominaram os passes errados, especialmente os alviverdes.

Tanto que uma nova oportunidade razoável de gol só ocorreu com Dudu, aos 26 minutos, ainda assim em cruzamento que o goleiro adversário pegou sem dificuldade. Aos 29 minutos, novo cruzamento, desta vez de Diogo Barbosa, que acabou sendo forte demais, passando na frente do gol do time argentino.

Dando uma esfriada na partida, como costuma tradicionalmente seu estilo de jogo, o Boca Juniors chegou perto da meta alviverde aos 40 minutos, em cruzamento que Jailson defendeu bem, e aos 44 minutos, com nosso goleiro de novo atento. A melhor oportunidade do primeiro tempo ocorreu aos 45 minutos, em arremate de Lucas Lima que tirou tinta da trave adversária.

A equipe veio melhor para a etapa final, embora sem grande brilho. Criou oportunidades razoáveis aos 4 minutos, com Dudu e aos 5 minutos, com Keno. Aos 8 e aos 10 minutos, foi a fez de Jailson trabalhar, sendo que a estratégia do Boca era esfriar o jogo e tentar algo no contra-ataque, o que quase conseguiu neste complicado momento da partida.

Bruno Henrique tentou duas vezes de fora da área, aos 14 e 15 minutos, sem sucesso. Aos 21 minutos, ele teve uma bela oportunidade, dentro da área adversária, mas chutou por cima da meta. O jogo foi ficando cada vez mais complicado, e só aos 37 minutos tivemos uma oportunidade um pouco mais clara, com Willian chutando e a bola indo para escanteio.

Ai, aos 44 minutos, quando o empate de 0 a 0 parecia inevitável, Guerra (que havia entrado aos 34 minutos) roubou bola do atrapalhado Jara e deu um belíssimo passe para Keno, que com oportunismo marcou. A torcida se acabou de tanto vibrar, e a vitória heroica parecia um prêmio para compensar um pouco todo o sofrimento do fim de semana. Só que não.

Em terrível falha de Antônio Carlos, o atacante Pavon, que não vinha fazendo boa partida, avançou pelo lado direito da defesa alviverde e cruzou para que Carlitos Tevez, que havia entrado na metade do segundo tempo, marcasse o gol do time argentino. Justo ele. Um castigo daqueles. Ainda assim, o empate nos mantém na ponta do grupo 8 da Libertadores. Menos mal.

 

As notas dos jogadores do Palmeiras:

Jailson7,0– Fez boas defesas e não teve culpa no gol.

Marcos Rocha6,0– Esforçado, bom nos desarmes e mediano no apoio.

Antônio Carlos4,0– Muito irregular, e falhando feio na hora em que não podia de jeito algum. Precisa esfriar a cabeça.

Thiago Martins4,5– Também inseguro durante toda a partida, mesmo sem tantas ameaças por conta do time argentino.

Diogo Barbosa5,5– Discreto e ainda fora de ritmo.

Felipe Melo7,0– O guerreiro do time, lutando do primeiro ao último minuto, conseguindo ir até o fim mesmo tendo tomado um cartão amarelo logo aos 12 minutos de partida.

Bruno Henrique6,0– Mal de pontaria, mas ao menos arriscou alguns chutes a gol, o que muita gente parecia ter medo de fazer. Saiu aos 34 minutos dando sua vaga a Guerra-7,0, que em pouco tempo mostrou muita garra e deu origem à jogada do gol, roubando bola de Jara e dando bela assistência para Keno.

Lucas Lima4,0– Muito fraco, especialmente para alguém que tinha como missão armar o time. Afora um bom chute a gol no finalzinho do primeiro tempo, pouca coisa a mais. Saiu aos 21 minutos do segundo tempo substituído por Moisés-5,0, que mostrou um pouco mais de vontade, mesmo sem brilhar.

Dudu6,5– Chamou bastante a responsabilidade, mesmo sem estar muito inspirado. Caiu bastante no segundo tempo.

Keno7,5– Começou bem e buscou o jogo, e foi premiado com o gol que poderia ter sido o da vitória.

Borja4,5– A bola praticamente não chegou, e ele pouco fez. Saiu aos 12 minutos do segundo tempo dando sua vaga a Willian-5,0, que se não brilhou ao menos deu mais dinamismo ao ataque.