Palmeiras empata com o Athletico-PR e vê título mais distante

Em circunstâncias normais, um empate contra o Athletico-PR em Curitiba, obtido na noite deste domingo (20) não seria considerado um mau resultado, levando-se em conta a habitual dificuldade de enfrentar esse adversário em seus domínios. No atual momento do Brasileirão, no entanto, essa igualdade por 1 a 1, combinada com a vitória do Flamengo contra o Fluminense no clássico carioca, significou um aumento da diferença do time carioca sobre nós. Agora, temos 54 pontos, contra 64 de nosso principal adversário, com apenas 33 pontos ainda em disputa.

A coisa começou feia, com um gol sofrido logo a 6 minutos de partida. O lateral Adriano avançou pela direita do nosso sistema defensivo e cruzou para Marcelo Cirino cabecear, livre, e abrir o marcador. Aos 11 minutos, Willian cruza na área e a zaga adversária salva o perigo.  O time da casa chegou com perigo aos 13 minutos, em chute de Wellinton, e aos 19, em boa jogada de Roni.

Dudu perdeu uma boa oportunidade aos 23 minutos, cruzando mal em contra-ataque perigoso. O jogo, a partir daí, ficou meio enrolado, com erros de passe de parte a parte. Até que, aos 41 minutos, Willian, pelo lado direito do nosso ataque, fez um bom cruzamento e Deyverson soube se antecipar e finalizar, marcando um gol e quebrando um jejum que vinha desde o dia 13 de junho, em jogo contra o Avaí. Milagre!

 

Infelizmente o time não mostrou um crescimento no quesito criatividade na etapa final do jogo, e raramente ameaçou o gol do time da casa, que por sua vez também não criou muita coisa. O que tivemos foi muita correria, erros de passe na hora decisiva das jogadas e o péssimo, inominável árbitro Ricardo Marques complicando tudo ao não saber como controlar o jogo. No fim das contas, o empate nos mantém 10 pontos à frente do Corinthians, o quinto colocado, diferença bem razoável para nos garantir uma vaga direta na Libertadores 2020.

As notas dos jogadores do Palmeiras:

Weverton- 6,5- Não tinha o que fazer no gol, e seguro no resto da partida.

Jean- 5,0- Esforçado, mas está muito fora de jogo. Saiu aos 21 minutos do segundo tempo para a entrada de Luan-6,0, que improvisado na lateral-direita deu conta do recado.

Gustavo Gómez- 7,0- Mesmo machucado, em falta feia sofrida por ele que não rendeu nem ao menos um amarelo para o jogador atleticano, deu o sangue e esbanjou garra.

Vitor Hugo- 6,0- Não brilhou, mas também suou e muito a camisa.

Diogo Barbosa- 5,5- Fraquíssimo no apoio e razoável na defesa, se tanto.

Felipe Melo- 6,5- Correu muito e ajudou na armação do time.

Bruno Henrique- 4,5- Muito fraco, com erros de passe, vacilos na marcação e inexistente no apoio ao ataque.

Zé Rafael- 3,0- O pior jogador alviverde em campo. Saiu aos 11 minutos do segundo tempo para a entrada de Lucas Lima-4,5, que também não entusiasmou o torcedor.

Dudu- 6,5- Bem abaixo do que normalmente joga, embora tenha corrido e lutado bastante, mas errou passes e chutes que normalmente não erra.

Willian-6,5- Deu a assistência para o gol de Deyverson, mas errou muitos passes finais e finalizações, algo que não é o seu normal. Precisa treinar mais esses fundamentos, pelo visto. Saiu aos 37 minutos do segundo tempo para a entrada de Raphael Veiga-4,0, que entrou muito tarde e não fez nada de muito efetivo.

Deyverson-7,0- Quebrou um jejum de quatro meses sem fazer gol, e a nota sete é graças a isso. De resto, muita dedicação, muitos passes errados, muitas vaciladas… O de sempre. Mas obrigado pelo gol!