Palmeiras empata com a Chapecoense em Santa Catarina

Com um gol arrancado na raça aos 40 minutos do segundo tempo, quando a vaca parecia ter ido para o brejo, o Palmeiras conseguiu empatar na noite desta quinta-feira(4) contra a equipe da Chapecoense, na Arena Condá, em Santa Catarina, pelo placar de 1 a 1. Com o resultado, subimos para o 2º lugar do Brasileirão 2016, perdendo a liderança para o Santos por saldo de gols.

Com personalidade, o time do Palmeiras começou a partida dominando as ações, e logo a 1 minuto Thiago Santos arriscou chute de longe, que passou perto da meta adversária. O mesmo jogador cabeceou com força aos 13 minutos e exigiu boa defesa de Danilo, que pôs para escanteio, em cruzamento de Zé Roberto. Aos 19 minutos, Dudu chuta bem e o goleiro defende em dois tempos.

O time da casa só chegou à meta alviverde aos 21 minutos, quando Thiaguinho fez boa jogada pelo setor esquerdo da defesa alviverde, mas chutou para fora. Aos 26 minutos, Dener experimentou um arremate de longa distância, para defesa segura do goleiro do Palmeiras. Moisés foi outro que tentou de longe, e aos 28 minutos mais uma vez Danilo teve de se virar.

Quanto a equipe treinada por Cuca aparentava estar mais próxima do primeiro gol, uma falha individual altera o destino das coisas. Após cobrança de falta, Vagner sai mal do gol, rebate de forma estabanada, a bola desvia em Thiago Santos e fica fácil para Kempes, que abriu o marcador aos 29 minutos.

A forma como o gol saiu abalou o Palmeiras, que só foi conseguir chegar novamente com algum perigo à meta adversária aos 40 minutos, com Erik chutando para fora após assistência de Zé Roberto. Hyoran ainda arriscaria de longa distância, levando perigo à meta alviverde aos 45 minutos.

Com Cleiton Xavier na vaga de Thiago Santos, o Verdão voltou ainda mais ofensivo, mas deixando espaços para os contra-ataques. O jogo ficou um pouco mais franco. O goleiro Danilo começou a se destacar, fazendo bela defesa logo aos 4 minutos em chutes consecutivos de Moisés e Jean.

Jean novamente testou Danilo aos 17 minutos, em nova bela defesa do arqueiro de Chapecó. Pouco depois, no entanto, quase sai o segundo tento do time da casa, em mais uma falha de Vagner que Zé Roberto conseguiu corrigir, tirando a bola quase em cima da linha da meta alviverde.

O jogo continuava indefinido e muito disputado quando, aos 36 minutos, Gil deu um toque sutil por trás, derrubando Cleiton Xavier. Pênalti, que Jean converteu com categoria de direita, no canto esquerdo de Danilo, empatando a partida aos 40 minutos. Aí, entusiasmado, o Verdão foi para cima do adversário.

Ainda teríamos boas emoções aos 41 minutos, com chute de Moisés que passou perto da meta adversária, aos 43 minutos, quando Bruno Rangel se atrapalhou com a bola e perdeu gol feito, e logo nos segundos seguintes, quando Danilo fez um milagre ao salvar desvio de Cleiton Xavier.

obs.: o gol da Chapecoense foi feito por Kempes, que estava impedido no início da jogada. Mais uma falha de arbitragem nos prejudica. E tem quem considere isso uma inexplicável mania de perseguição do torcedor alviverde…

As notas dos jogadores do Palmeiras:

Vagner4,5– Muito inseguro, falhou feio no gol da Chapecoense e quase toma mais um de bobeira. Precisa ser apoiado para ganhar confiança.

Jean7,0– Muita garra na defesa e no apoio ao ataque, cobrou o pênalti com frieza e maestria.

Thiago Martins5,5– Discreto, não chegou a comprometer.

Vitor Hugo5,5– Também discreto, sem grande brilho.

Zé Roberto7,5– Mais uma partida impecável do nosso Vovô Menino, com direito a eficiência na marcação e belas assistências.

Thiago Santos6,0– Vinha muito bem na partida, inclusive na parte ofensiva, algo raro para ele, quando foi substituído por Cuca no intervalo. Cleiton Xavier-6,5, que entrou em seu lugar, não brilhou, mas sofreu o pênalti providencial que nos valeu esse importante ponto fora de casa.

Tchê Tchê6,0– A determinação de sempre, embora sem brilho.

Moisés6,5– Muita disposição na marcação e movimentação, com direito a bons chutes de fora da área.

Dudu3,0– Afora um bom chute a gol no primeiro tempo, disperso, errando passes, jogadas individuais e tudo o mais. Saiu aos 23 minutos do segundo tempo substituído por Allione-4,0, que foi um fiapinho melhor, e só isso.

Erik5,5– Procurou se mexer e ser opção de jogadas, embora tenha brilhado menos do que nas partidas anteriores. Saiu aos 13 minutos do segundo tempo, dando lugar a Lucas Barrios-5,0, que ficou trombando na área, sem inspiração, mas teve garra.

Leandro Pereira2,0– Duas perguntas básicas ao treinador Cuca: por que ele entrou em campo, e por que não foi substituído? Uma nulidade total e completa.