Palmeiras é eliminado da Libertadores nos penais

Moisés foi o grande herói do Palmeiras na noite desta quarta-feira (9). Infelizmente, sua comovente demonstração de força não nos valeu a classificação na Libertadores. Com placar de 1 a 0 a nosso favor na partida, a decisão por pênaltis acabou sendo vencida pelo Barcelona de Guayaquil pelo placar de 5 a 4. O sonho do bi do torneio fica para uma outra vez.

Jogando contra um adversário traiçoeiro e com inúmeras faltas sendo marcadas na parte inicial da partida, o Palmeiras só se aproximava do gol do Barcelona em cobranças de falta, sendo que Egídio tentou aos 7, 12 e 14 minutos e Dudu aos 10 minutos, com o lateral chegando mais perto de algo efetivo.

Aos 22 minutos, a melhor oportunidade alviverde com a bola em movimento, em bom cruzamento de Egídio que Deyverson desviou para fora. Aos 24 minutos, o Barcelona chegou pela primeira vez em chute forte de Alves que Jailson defendeu de forma firme e segura, felizmente.

Aos 32 minutos, após ameaçar algumas vezes, o time equatoriano quase marca, em jogada que Castillo, dentro da área, arrematou para fora. O Palmeiras ainda teria uma oportunidade, em cruzamento de Róger Guedes que o goleiro pegou. O time esbanjou incompetência para entrar na defesa adversária.

Com Moisés na vaga de Róger Guedes, o Palmeiras retornou melhor na segunda etapa. E foi exatamente Moisés quem marcou o nosso gol, em contra-ataque iniciado por ele, que lançou Dudu. O Pequeno Gigante fez bela jogada e tocou para o nosso camisa 10, que cortou o zagueiro e fez um golaço.

O time parecia com cara de quem resolveria a partida, mas o time equatoriano mandou uma bola na trave aos 13 minutos, em contra-ataque rápido. Aos 17 minutos, foi a vez de Keno acertar a trave. Aos 18 minutos, Tchê Tchê fez uma boa jogada, mas acabou arrematando para fora.

Sempre perigoso nos contra-ataques, o Barcelona quase marca com 20 minutos, mas Alves perdeu gol feito. A partida permaneceu assim, o tal de “lá e cá”, mas as oportunidades mais claras foram desperdiçadas pelo time visitante, aos 37 e 46 minutos.

Na decisão por penais, Bruno Henrique perdeu um, mas Jailson pegou outro, e novamente Moisés nos levou para as cobranças alternadas. Ali, no entanto, Egídio perdeu sua cobrança, e com ela, as esperanças do Verdão no torneio continental foram devidamente sepultadas. 5 a 4 para os equatorianos.

As notas dos jogadores do Palmeiras:

Jailson7,0– Foi bem durante o jogo e ainda pegou um pênalti.

Tchê Tchê5,5– Não brilhou, mas teve eficiência, e fez seu gol nas cobranças de pênalti.

Yerri Mina5,0– Não vinha mal até que se contundiu e teve de ser substituído por Edu Dracena5,0, que perdeu no mano a mano para os atacantes adversários e só se safou fazendo várias faltas.

Luan5,5– Melhor que o seu colega de zaga, mas apenas regular em termos gerais

Egídio6,0– Foi um dos melhores do time durante a partida, mas acabou perdendo o pênalti que nos tirou da Libertadores. Que a torcida saiba reconhecer seu esforço.

Thiago Santos6,0– Muita raça e disposição para carregar o piano.

Bruno Henrique4,0– Ainda fora de jogo, e de quebra perdeu um pênalti na disputa que nos eliminou. Paciência com ele…

Dudu7,0– Lutou muito e deu o passe para o nosso gol. Saiu contundido aos 31 minutos do segundo tempo substituído por Guerra-4,5, que teve como único mérito ter feito o seu gol nas cobranças de pênalti, mesmo tendo tropeçado.

Róger Guedes3,0– Muito mal. Saiu no intervalo substituído por Moisés-9,0, que mesmo fora de forma esbanjou raça, fez um gol no tempo regulamentar e um de pênalti, este último quando estava visivelmente mancando. Até em derrotas dá para ter heróis, e Moisés é um deles.

Keno5,5– Muito abaixo do jogador arisco a que estamos acostumados. Ao menos fez o seu nas cobranças de pênalti.

Deyverson3,0– Muito mal. Pode ter sentido a partida. Bola pra frente.