Palmeiras apenas empata com o Mirassol

3.764 pessoas num Palestra Itália vazio. Protestos na rua, e um time apático dentro de campo. De novo. O “algoz” da vez foi o medíocre Mirassol, que garantiu um ponto na luta contra o rebaixamento, com o empate por 1×1 com o Palmeiras.

A princípio, parecia que o time iria se recuperar. Logo aos quatro minutos, CX10 foi derrubado na área, e o juiz marcou pênalti. Robert bateu forte no canto esquerdo, o goleiro acertou o canto, mas não conseguiu chegar na bola. Palmeiras 1 x 0.

Bastava manter a pressão inicial, ampliar o placar, e depois administrar a partida. No entanto, mais uma vez, o time foi incapaz de converter em gols as raras oportunidades criadas pelo centroavante Robert.

Para complicar ainda mais, no final da primeira etapa, CX10 deixou o campo por causa de uma fisgada na coxa. Anselmo, que entrou em seu lugar, pouco acrescentou, e foi mais um ator desse filme triste que se tornou o Palmeiras desde o fracasso no Brasileirão de 2009.

Na segunda etapa, diante da inércia palmeirense, o Mirassol começou a se arriscar no ataque, e levou perigo ao goleiro Marcos, que passou a ser exigido na partida (só havia feito uma difícil defesa no primeiro tempo). Para tentar consertar, o técnico Antonio Carlos tirou o jovem Vinicius (que sentiu a pressão), e colocou o zagueiro Maurício Ramos.

Mas o pior veio aos 26 minutos, quando numa jogada estranha em que Evando e Léo disputaram de “sola” dentro da área, a bola sobrou para Pablo Escobar marcar o gol do empate. Depois disso, o Antonio Carlos ainda sacou Robert para a entrada do meia Joãozinho, e foi chamado de burro pela torcida.

No final, o goleiro Marcos foi pra área, tentou marcar de cabeça, mas o placar permaneceu inalterado.

Resultado péssimo, num jogo igualmente péssimo. Fica a ansiedade para o jogo da Copa do Brasil, valendo vaga para as oitavas de final.

Dá tempo para reverter esse quadro?


Ouça também o Torpedo Verde, o boletim diário da Rádio Mondo Palmeiras!