Palmeiras apenas empata com o Bahia no Pacaembu

Por Fabian Chacur

Em partida na qual abusou de nervosismo, finalizações erradas e espaços para o adversário contra-atacar, o Palmeiras não passou de um empate pelo placar de 1 a 1 contra o Bahia. As mais de 15 mil pessoas presentes ao Pacaembu na tarde deste domingo (3) viram um time inseguro emplacar a sétima partida seguida sem vencer no Brasileirão 2014.

Desde o início, o desenho de como seria a disputa entre as duas equipes que fazem má campanha no torneio nacional ficava bem claro. De um lado, o Bahia todo fechado na defesa e tentando ganhar na base da tal “uma bola”. Do outro, o Palmeiras, sem muita inspiração, pressionando o adversário.

O Verdão até tinha posse de bola e alguma criação, mas pecava nos passes errados na hora da definição, ou em arremates infelizes e de pouca técnica no momento das conclusões. Um chute forte de Wesley aos 24 minutos, com boa defesa de Marcelo Lomba, e uma cabeçada de Leandro para fora, aos 35 minutos, foram os momentos mais incisivos do time de Ricardo Gareca.

Por sua vez, o Bahia teve a grande oportunidade da etapa inicial, quando Kieza recebeu livre e ficou na cara do gol. Sorte que Fábio saiu muito bem e conseguiu neutralizar o atacante adversário. Do contrário, teríamos tomado o gol aos 45 minutos, para desespero do torcedor.

Com Weldinho na vaga de Wendel, o Palmeiras voltou do mesmo jeito para a etapa final, criando chances sem finalizações decentes. O Bahia aproveitou os espaços deixados pelo ex-corinthiano e quase empata aos 13 minutos, quando Marcos Aurélio perdeu o gol mais feito do jogo.

Aos 15 minutos, surgia a esperança de uma vitória. Victor Luis, de longe o melhor jogador do Palmeiras neste jogo, acertou belo cruzamento, finalizado com precisão por Henrique. Enfim o gol saía. Tudo levava a crer que enfim iríamos conseguir essa tão sonhada vitória. Ficou na vontade.

Em bela jogada feira por Pará na “avenida Weldinho”, o jogador adversário cruzou e o atacante Kieza finalizou sem chances para Fábio. O empate ocorreu aos 17 minutos, ou seja, nem tivemos a chance de curtir o nosso gol e já tomamos essa ducha de água fria.

Com as entradas de Mendieta e Patrick Vieira nas vagas de Pablo Mouche e Felipe Menezes, a equipe conseguiu piorar ainda mais sem desempenho, e pouco conseguiu criar de efetivo no intuito de voltar a comandar o placar. E ainda tomou alguns sustos em contra-ataques baianos. No fim, o empate com gosto amargo provou que este Brasileirão será um tormento para nós, alviverdes.

As notas dos jogadores do Palmeiras:

Fábio – 6,5– Salvou o Verdão em algumas oportunidades e não teve culpa alguma no gol do adversário.

Wendel -5,0– Esforçado como sempre, acertou boa assistência para Leandro. Saiu no intervalo dando sua vaga para Weldinho-4,0-, que até começou bem no apoio, mas que logo virou uma avenida toda disponível para o ataque do Bahia.

Lúcio- 5,0– Muita garra, sua nota vale mais pela atitude de ter jogado ainda se recuperando de contusão no rosto.

Marcelo Oliveira- 4,5– A disposição de sempre, mas com direito a algumas falhas apavorantes, uma delas quase resultando em gol do time baiano.

Victor Luis- 7,0– De longe o melhor do Palmeiras e da partida, com boas assistências (incluindo a do gol alviverde) e muita disposição. Ah se todos tivessem jogado como ele hoje…

Josimar – 5,0– Mesmo limitado, ao menos correu, marcou e até fez algumas assistências durante a partida.

Wesley- 5,0– Muito abaixo do que pode jogar, só merece nota azul pelos dois bons chutes de longa distância que deu.

Felipe Menezes- 5,0– Não falta disposição e entrega a ele, que infelizmente possui baixo nível técnico para ser o principal jogador na armação do Palmeiras. Saiu para dar lugar a Patrick Vieira – 4,0-, ainda muito fora de jogo, embora esforçado.

Pablo Mouche -4,0– Não conseguiu se livrar da marcação do time baiano e pouco foi visto em campo. Deu sua vaga para Mendieta -5,0-, que foi um pouco melhor, mas nada muito significativo.

Leandro- 4,0– Lutou muito, mas finalizou muito mal e errou passes em momentos importantes da partida por ser fominha demais. Levante a cabeça e jogue, garoto, você tem potencial!

Henrique- 6,0– Fez um belo gol de puro oportunismo e se mexeu bastante no setor ofensivo.