Palmeiras abusa da má pontaria e perde Derby em casa


Não, meus amigos, vocês não viram na tarde deste sábado (2) uma reprise de um dos seis Derbys que o Palmeiras perdeu em 2017 e 2018. A partida ocorreu em 2019, mesmo, embora o espírito das duas equipes tenha se repetido, para nossa tristeza. De um lado, o Corinthians retranqueiro de Fabio “Capachão” Carile, fazendo um gol logo no início e se fechando todo na defesa. Do outro lado, o Palmeiras, agora de Felipão, tentando burocraticamente o empate e não acertando as bolas no gol. No fim das contas, uma derrota amarga para o palmeirense, mesmo sendo uma insossa fase de classificação do detestável Paulista 2019. Mas é Derby, pqp!

O Palmeiras, como seria de se esperar, começou em cima da equipe de Parque São Jorge. No entanto, em um erro de passe, surge contra-ataque parado com falta. Na cobrança, aos 7 minutos, a bola vai para a área, Gustavo cabeceia bem, Weverton faz ótima defesa, ninguém corta o rebote e Danilo Avelar finaliza, abrindo o marcador. Logo aos 8 minutos, um chute de Dudu desviou na zaga do rival e bateu na trave. Seria nosso lance mais perigoso na partida!

Vou poupar o sócio do Clube Mondo Verde de detalhes excessivos sobre a partida. Basicamente, o primeiro tempo acabou com o time de Felipão tocando a bola para um lado e para o outro, sem conseguir criar praticamente nada, enquanto seu adversário só olhava o relógio e via o tempo passar. Nada de criatividade, nada de bons chutes a gol, rigorosamente nada de um time com tanto potencial criativo como o nosso.

Para a etapa final, com Felipe Pires na vaga de Carlos Eduardo, continuou o mesmo panorama, só que com um acréscimo irritante: o Palmeiras teve dezenas de escanteios a seu favor, em todos a defesa alvinegra possibilitou cabeçadas de nossos jogadores, e em NENHUMA OPORTUNIDADE um deles conseguiu ao menos cabecear no gol. Todas as tentativas de Gustavo Gómez, Luan, Deyverson e Felipe Melo foram para fora, com este último tendo chegado mais perto.

A chance melhorzinha ocorrida rolou novamente em chute de Dudu que desviou na zaga e obrigou Cassio a desviar para escanteio, aos 21 minutos. No final, o time adversário teve umas duas chances claras de gol em contra-ataques para matar o jogo, mas não teve competência para tal. E, de quebra, aos 42 minutos, Deyverson ainda foi expulso. Tipo da partida para irritar até um monge budista…

As notas dos jogadores do Palmeiras:

Weverton-6,0– Fez boa defesa, mas não conseguiu evitar o gol, e assistiu o jogo de forma privilegiada, tal a defensividade do adversário covardão.

Mayke-5,0– Esforçado, acertou um ou outro cruzamento, mas foi abaixo do habitual.

Gustavo Gómez-4,5– Pouco exigido na defesa e inoperante no ataque, cabeceando mal demais.

Luan-4,5– Igualzinho o seu colega de zaga.

Diogo Barbosa- 4,0– Para cada tentativa que acertou, errou umas 20…

Felipe Melo- 5,0– Muito esforçado, tentou alguma coisa, sem sucesso.

Bruno Henrique- 4,0– Muito abaixo do que o torcedor se acostumou a ve-lo jogar. Saiu aos 25 minutos do segundo tempo substituído por Gustavo Scarpa-4,5, que tentou alguma coisa, mas também não estava inspirado.

Lucas Lima-2,0– Para não pegar pesado, digamos que não foi visto em campos.

Dudu- 6,0– O melhor do Palmeiras, o que nesse maldito jogo deste sábado (2) não significou muita coisa. Bateu mil escanteios, mas nada rolou dali.

Carlos Eduardo-1,0– Claramente sentiu a partida, com uma performance horrorosa. Saiu no intervalo, dando lugar a Felipe Pires-5,0, que até começou bem, mas com o decorrer da partida também caiu no ramerrão do resto da equipe.

Borja- 2,0– Atuação nível zumbi. Saiu aos 14 minutos do segundo tempo substituído por Deyverson-zero, que além de não jogar nada ainda foi expulso de forma bizarra.