Ele voltou. Sim, o CUCABOL está de volta!

Tudo bem que o Cuca é um treinador carismático, quase místico, e ainda é palmeirense desde criancinha. Mas não é só por isso que todos queriam ele de volta no Verdão.

O que a gente esperava ver, além das manias do Cuca, era o Palmeiras pressionando os adversários desde o primeiro minuto, marcando gols logo no início e mostrando dentro de campo que temos o melhor time do País.

Contra o Vasco, tivemos quase tudo isso. O Palmeiras jogou melhor durante quase toda a partida, começou com um gol antes dos dez primeiros minutos e, embora tenha uma escalação parecida, foi um time totalmente diferente dentro de campo. Chega de marcação por zona, 4-1-4-1, e “pranchetinha”. O time de Cuca é muito mais intenso,  tem sempre mais jogadores na área adversária e a marcação é individual.

Aliás, depois de tanto tempo jogando com um volante apenas, Tchê Tchê e Felipe Melo ainda precisam acertar a marcação. Ainda falta entrosamento aos dois naquele setor e o Vasco chegava fácil ao ataque. O gol de empate só não saiu porque o Fernando Prass fez duas defesas incríveis e o Cuca é muito “larrrrgo”, como a gente diz lá em Tatuí.

Claro que o Cuca percebeu o problema e logo o corrigiu, colocando o Tchê Tchê na lateral e o Jean no meio-campo. Pronto, acabou a festa do Vasco, que não aproveitou nenhuma das chances que teve e, a partir de então, o Palmeiras voltou a tomar conta do meio-campo.

Miguel Borja voltou a marcar gols com a camisa do Palmeiras. Fez dois, um deles de pênalti, e outro depois de uma jogada de vídeogame iniciada pelo Yerry Mina. Depois de uma belíssima jogada, um lindo gol, para que o colombiano reconquiste a confiança para seguir em frente.

O Palmeiras ainda teve chances de ampliar o placar com o Dudu, num ótimo contra-ataque armado pelo Prass. Se a bola tivesse chegado ao Guerra ou ao Borja fatalmente terminaria no fundo das redes. Até isso agora acontece?

A verdade é que não teremos nem muito tempo de comemorar essa vitória. Já nesta quarta-feira, vamos enfrentar o Internacional pela Copa do Brasil e o Cuca deve acertar o sistema defensivo para que o Palmeiras possa resolver o confronto em São Paulo mesmo.

Seria ótimo conseguir isso, mas o mais importante é saber que o time ainda vai evoluir muito na base do CUCABOL!

Ótima semana a todos!