Direitos de transmissão – 2ª. parte: “Mudou e não mudou nada”

Bom dia, boa tarde e boa noite amigos do Mondo.

Em 2011, após a implosão do Clube dos 13 e como o direito de transmissões dos jogos é dos dois times que disputam a partida como determinou a Lei Pelé, de 2012 e até 2018, a Rede Globo teve a exclusividade da transmissão dos jogos do campeonato brasileiro na TV aberta, TV fechada, Pay-Per-View e comercializava os direitos de transmissão para outros países e as placas de publicidade dos estádios.

Neste período, de forma injusta e injustificada, a Globo pagou valores muito maiores aos dois filhos: Flamengo e SCCP, criando grupos de clubes por valor:

Receitas das cotas de TV
Clube 2018
Flamengo R$ 170 milhões
SCCP R$ 170 milhões
SPFC R$ 110 milhões
Palmeiras R$ 100 milhões
Vasco R$ 100 milhões
Santos R$ 80 milhões
Atlético-MG R$ 60 milhões
Botafogo R$ 60 milhões
Cruzeiro R$ 60 milhões
Fluminense R$ 60 milhões
Grêmio R$ 60 milhões
Internacional R$ 60 milhões

Como todos os clubes (incluindo o Palmeiras até 2015) são dependentes dos valores da TV, com as luvas pagas a cada renovação e por causa da fórmula de divisão da cota do Pay-Per-View (que permitiu, em 2018, o Atlético Mineiro ser o 3º. clube que mais recebeu), os clubes foram coniventes e aceitavam o modelo.

Porém para o período de 2019 a 2024, usando a crise econômica como desculpas para reduzir os valores, a Rede Globo propôs e os clubes (exceto Palmeiras e Athletico PR que até hoje não renovaram os contratos) aceitaram várias mudanças:

TV Aberta e TV Fechada (Sportv)

A cada ano serão 1,1 bilhão divididos da seguinte forma:

  • 40% ou R$ 440 milhões, com R$ 22 milhões por clube da Série A;
  • 30% ou R$ 330 milhões de acordo com o número de jogos transmitidos de cada clube;
  • 30% ou R$ 330 milhões em função da classificação final do 1º. ao 16º. colocados.

 

Pay-Per-View

Os R$ 650 milhões serão divididos considerando uma pesquisa de torcidas de cobertura nacional “DNA Torcedor” em substituição a pesquisa de torcidas com 9 capitais, irá gerar uma substancial mudança de valores recebidos por vários clubes:

Clube Pesquisa nas Capitais  Valor em milhões – 2018 Pesquina Nacional  Valor em milhões – 2019 Diferença de Pontos Percentuais
Flamengo 15,0%  R$              97,5 23,0%  R$            149,5 8,0%
SCCP 13,0%  R$              84,5 19,0%  R$            123,5 6,0%
SPFC 7,5%  R$              45,5 10,0%  R$              65,0 2,5%
Palmeiras 6,0%  R$              39,0 9,0%  R$              58,5 3,0%
Vasco 7,5%  R$              48,8 6,0%  R$              39,0 -1,5%
Grêmio 7,0%  R$              45,5 4,0%  R$              26,0 -3,0%
Santos 4,0%  R$              26,0 4,0%  R$              26,0 0,0%
Cruzeiro 7,0%  R$              45,5 3,0%  R$              19,5 -4,0%
Internacional 6,0%  R$              39,0 3,0%  R$              19,5 -3,0%
Atlético MG 9,0%  R$              58,5 3,0%  R$              19,5 -6,0%
Sport 1,2%  R$                7,8 2,4%  R$              15,6 1,2%
Fluminense 6,0%  R$              39,0 2,4%  R$              15,6 -3,6%
Bahia 3,0%  R$              19,5 2,0%  R$              13,0 -1,0%
Botafogo 4,0%  R$              26,0 2,0%  R$              13,0 -2,0%
Vitória 2,5%  R$              16,3 1,1%  R$                7,2 -1,4%
Athletico PR 1,1%  R$                7,2 1,0%  R$                6,5 -0,1%

Fonte: http://cassiozirpoli.com.br/a-divisao-dos-r-650-milhoes-do-ppv-no-brasileirao-2019-com-pesquisa-nacional/

Quando negociaram, por amadorismo e incompetência, os dirigentes aceitaram um novo fluxo de pagamentos, que irá gerar novos problemas para a maioria dos clubes. Até 2018, os pagamentos eram efetuados de fevereiro a dezembro. A partir de 2019, a quase totalidade dos valores serão pagos de maio a dezembro, criando complicações de fluxo de caixa e incertezas dos valores a serem recebidos.

 

Placas de Publicidade nos Estádios e Direitos Internacionais

A Rede Globo deixou de comercializar as duas propriedades.

Os direitos internacionais foram negociados coletivamente por R$ 550 milhões com a empresa BR Foot Sports Media (a empresa não pagou a 1ª. parcela e essa negociação encontra-se pendente).

As placas foram vendidas coletivamente, exceto Flamengo, SCCP e Athletico PR que negociaram individualmente. Em 2019, uma boa novidade na TV fechada, o Grupo Turner entra no futebol brasileiro

Em 2016, o extinto Esporte Interativo (então propriedade do conglomerado de mídia norte-americano Turner que fatura aproximadamente 7 bilhões de dólares por ano) negociou com 16 clubes brasileiros e quebrou o monopólio da Rede Globo para a transmissão dos jogos do campeonato brasileiro em TV fechada.

Mesmo com o encerramento das atividades do Esporte Interativo em 2018, os 42 jogos a serem disputadas entre Palmeiras, Santos, Internacional, Athletico PR, Bahia, Ceará e Fortaleza, em 2019, serão transmitidas nos canais TNT e Space.

É importante esclarecer que as partidas dos times da Turner versus os clubes da Globo (se Palmeiras e Athletico PR assinarem com a emissora carioca) serão exibidos na TV aberta ou no Pay-Per-View. Caso Palmeiras e Athletico PR não assinem, serão 52 partidas sem transmissão de TV.

Incomodada, a Rede Globo se vingou e puniu financeiramente que assinou com o concorrente. Exceto Palmeiras e Athletico PR, os outros cinco clubes irão receber menos 20% na TV aberta e 5,27% no Pay-Per-View, um absurdo.