O Palmeiras virou um "cemitério de jogadores"?

Já há um bom tempo, nosso companheiro Fabian Chacur critica a “turma do amendoim palmeirense”, aquela que começa a cornetar o time aos 2 minutos de jogo.

Desde, sei lá, 2007, ele atenta para esse comportamento destrutivo de uma ruidosa parte da nossa torcida. Não vou citar nenhum nome específico, mas são vários os jogadores que após serem perseguidos no Palmeiras, acabaram deixando o clube e se deram muito bem longe do Palestra.

Esses jogadores nunca foram meus ídolos. Longe disso. Mas será que eram tão ruins assim a ponto de serem destruídos pela intelligentzia palestrina?

O futebol brasieliro mudou muito de uns tempos para cá. Apesar de o País continuar a ser “celeiro de craques” como dizem por aí, atraídos pelo altos salários do exterior, poucos deles acabam ficando por aqui por muito tempo.

É injusto, portanto, comparar o time atual do Palmeiras (ou outros grandes times brasileiros) com aqueles que montávamos há 15 anos atrás.

Alguns torcedores vão mais longe ainda, e tentam imputar uma responsabilidade a alguns jogadores que eles jamais terão em lugar algum. Quando percebem que a sua enorme expectativa não foi satisfeita, começam a xingar o “craque” que nunca existiu de fato, mas apenas em seus devaneios.

Esse tipo de torcedor não deve ser perseguido, de forma alguma, mas uma mudança de comportamento deve ser exigida pelos demais.

Se não conseguirmos mudar isso logo, os nossos rivais ficarão cada vez mais fortes.

Com ex-jogadores do Palmeiras, é claro.



*******

Ouça também o Torpedo Verde, o boletim diário de Mondo Palmeiras.