O Palmeiras que passará para o outro lado da ponte

Na tarde de ontem, enquanto andava pelas ruas, estive ouvindo Pink Floyd, mais precisamente a música“Burning Bridges” (“Pontes queimando”, do português), segunda faixa do álbum Obscured by Clouds, disco que gosto de ouvir em dias chuvosos como os de ontem (ao menos o tempo foi assim em Sorocaba e região), justamente pela sua atmosfera que remete muito bem a dias nublados e úmidos.

De repente lembrei-me do jogo que acontecerá neste sábado, contra a Ponte Preta, e essa lembrança ocorreu enquanto eu atravessava uma ponte. Não quero transmitir nenhum tipo de superstição com essa história, porém, convenhamos que não é todo dia que se atravessa uma ponte, ouvindo uma música chamada Burning Bridges e pensando em uma futura partida contra a Ponte Preta!

Curiosamente, eis alguns dos trechos mais marcantes dessa canção: “(…) laços antigos se quebrando, se movendo e trocando de lado, sonhando com um novo dia… A porta está entreaberta…”.

As palavras podem ser interpretadas em vários contextos, portanto, levando em conta que o palmeirense está buscando queimar os laços com o passado recente, resumido por dias de esperança que foram marcados por frustrações e decepções, tal fato, por mais insignificante que possa ser, me leva a acreditar que os novos dias estão chegando, e que a Ponte Preta seja uma porta entreaberta que precisamos escancarar.

É estranho me lembrar disso enquanto escrevo para vocês, porém, quem sabe o jogo de sábado não marque o início de uma nova consolidação? Que uma sequência de grandes vitórias a ser construída para que uma “Nova Era” seja finalmente imposta pela competência de nossos jogadores e o nosso ótimo treinador Cuca?

O ano de 2015 mostrou que somos capazes, mas este ano de 2016, caros amigos, pode ser o ano em que o Palmeiras se torne sinônimo de supremacia no futebol brasileiro, apresentando um futebol que há muito tempo queríamos voltar a ver no hoje Allianz Parque, fazendo da reconquista da América não um objetivo, e sim uma consequência.

Abraços a todos!