Ufa! E o Palmeiras desistiu de Ronaldinho Gaúcho…

Olha, depois de tantos anos acompanhando futebol, jamais vi uma palhaçada tão grande como essa “novela Ronaldinho Gaúcho”.

Infelizmente, para mim, o Palmeiras foi um dos principais personagens desse folhetim.

Ontem, como se sabe, o Grêmio pulou fora das negociações por não concordar com o “modus operandi” do empresário do jogador, seu irmão Assis.

Qualquer um que tenha um pouco de sensibilidade já percebeu que o atleta quer morar no Rio, sonho de muitos brasileiros de diversas regiões, e que o Palmeiras sempre foi sua última opção.

Mesmo assim, ou ainda assim, a diretoria palmeirense se mantém confiante na contratação de Ronaldinho, e permanece firme no páreo.

Agora recebo a informação que o Palmeiras desistiu das negociações. Confira a nota oficial do presidente abaixo.

Nunca vi como algo positivo a exposição da marca Palmeiras neste episódio. Pouco citado, apesar de ter a “melhor proposta financeira”, o time sempre foi o patinho feio da estória. Não precisamos disso!

O Palmeiras já têm seus ídolos, tem uma história maravilhosa, e esse tipo de situação só arranha a nossa imagem no cenário do futebol brasileiro.

A novela terminou, mas ainda não contratamos ninguém até agora, e o Paulistão começa já na próxima semana.

Só o tempo vai dizer se estou certo ou errado, e se isso tudo valeu a pena.

Abraço a todos!

******

A Sociedade Esportiva Palmeiras informa aos 18 milhões de torcedores que, a partir desta data (9 de janeiro de 2011), desiste oficialmente da contratação do atleta Ronaldinho. Pela grandeza e história do nosso clube, e para esclarecimento aos seus milhões de torcedores, o Palmeiras manifesta que:

– As conversações com o irmão e empresário do atleta, o senhor Roberto de Assis, tiveram início no mês de junho de 2010;

– Nesse mês, foi apresentado o projeto para a vinda do atleta. Várias empresas se mostraram interessadas em participar e a partir daí iniciaram-se as negociações;

– Em julho, surge um fato novo. Ao contrário do que ocorria até aquele momento, o Milan resolveu não abrir mão dos direitos que tinha sobre o contrato do jogador, que venceria somente em junho de 2011, inviabilizando, assim, o negócio;

– Não obstante, durante esse período, o Palmeiras continuou mantendo conversações com o representante do atleta, o senhor Roberto de Assis;

– Em dezembro, nos foi informada a possibilidade da liberação do atleta sem o pagamento da multa. Até este momento, segundo o senhor Roberto de Assis, apenas o Palmeiras negociava com o atleta, o que nos deixava confiantes na vinda do jogador;

– Somente em meados de dezembro é que surgem então outros clubes interessados. A partir de então o representante do jogador começou a desenvolver negociações paralelas. O Palmeiras alertou o irmão do jogador sobre esses novos fatos e disse que não se envolveria nessa modalidade de negociação por considerá-la contrária aos padrões éticos de uma sociedade civilizada;

– Menos de uma semana após essa conversa, no dia 2 de janeiro o senhor Roberto de Assis fez uma contra proposta apresentada por ele como definitiva. O Palmeiras de imediato aceitou essa contra proposta . Tínhamos então a garantia da vinda do jogador;

– Qual não foi nossa surpresa ao ver pela imprensa que as negociações com outros clubes continuavam, apesar da palavra empenhada do senhor Roberto de Assis de que o jogador vestiria nossa camisa;

Por tudo isso, o Palmeiras faz questão de vir a público para enfatizar que jamais vai compactuar com esse tipo de comportamento.

O Palmeiras esclarece que desenvolveu um projeto com grandes empresas do mercado brasileiro e internacional, reunindo profissionais de reputação em uma ampla operação comercial e de marketing para viabilizar a vinda do jogador.

Todas as etapas para a conclusão do negócio, abrangendo salário, premiação, tempo de contrato e empresas envolvidas, foram solucionadas e acordadas com o empresário do atleta. Todas as cláusulas e valores pedidos pelo representante do atleta, neste período, foram 100% aceitas pelo Palmeiras e repassadas para a conclusão do negócio. As condições eram excepcionais, provavelmente as maiores do mercado brasileiro em todos os tempos. O empresário Assis afirmou ao Palmeiras que a transação estava fechada no dia 2 de janeiro.

Desde então, foram várias respostas evasivas e tentativas frustradas de contato. É necessário alertar a opinião pública que, em respeito à sua história, a seus torcedores e a seus parceiros, a Sociedade Esportiva Palmeiras trabalhou com a paciência necessária e com a dignidade exigida para conclusão dessa negociação.

Luiz Gonzaga Belluzzo
Presidente da Sociedade Esportiva Palmeiras

São Paulo, 9 de janeiro de 2011