O nascimento da Fênix Verde

edicao18a.gif

Amigos Palmeirenses, é com muita felicidade que estréio hoje com minha coluna semanal no ótimo site Mondo Palmeiras. De agora em diante, todo sábado estarei presente com a opinião de mais um palmeirense sobre nossa maior paixão, o Palestra! Pois bem amigos, estive mais uma vez presente no nosso templo para assistir o jogo mais difícil da trinca decisiva (São Caetano, Corinthians e Noroeste), e o que eu vi, mesmo com a derrota, não me desapontou. Digo isso porque, depois de anos de sofrimento, voltamos a ter um time (de verdade).

O que vi contra o Noroeste foi uma defesa consistente (com nosso Roque David Junior), laterais que sabem jogar com e sem a bola nos pés, volantes com técnica, o melhor camisa 10 do país e um ataque ao menos esforçado. O que aconteceu foi que, alem de uma noite inspiradíssima do goleiro adversário, demos muito azar e fomos um pouco inconstantes, como é normal em um time em formação. Mesmo com todos os erros e defeitos, é notável o nascimento de uma equipe. Nascimento esse que vem após anos de crises intermináveis e dirigentes que não merecem nem terem seus nomes citados por aqui. Fizemos virar cinza toda essa podridão e renascemos ali, como uma Fênix, a Fênix Verde.

Não se esqueçam. Tropeços e deslizes são normais em um time que ainda está se formando.O mundo não acabou com essa derrota, muito menos o campeonato! Estamos vivos e chegaremos entre os 4, podem anotar e me cobrar depois.

Notas: 1 – Gostava do time do Norusca. GOSTAVA, até um infeliz vestindo a camisa deles, fazer gestos medíocres frente à torcida do nosso Palestra. Palmas pro nosso Marcão, que peitou o jogador.

2 – Precisamos mesmo de um centro-avante. O Alemão ao menos ganhava no corpo e não era desarmado ao mínimo tranco, já o Osmar…

3 – Êo êo, o Valdívia é o terror! Êo êo, o Valdívia é o terror! Êo êo, o Valdívia é o terror! Um Abraço e até o próximo sábado!