Nobre não quer time pressionado pelo Centenário

Na entrevista coletiva de ontem, que era para falar sobre a renovação de Gilson Kleina, Paulo Nobre revelou que não quer que o time do Palmeiras se torne refém do centenário do clube. Ou seja, ele não quer loucuras em 2014.

“O clube não pode se tornar refém do centenário. Não pode trazer pressão extra aos jogadores, como se isso fosse um adversário. O que vamos exigir é que quem estiver aqui tenha responsabilidade. Vestir a camisa do Palmeiras é algo diferente, seja em treino, jogo oficial ou amistoso”, disse o dirigente.

Porém, segundo Nobre, isso não quer dizer que não serão contratados reforços de peso, com contratos pontuais.

Kleina, ao lado do dirigente, concordou.

“Não vou colocar o ano do centenário com peso maior até porque os três pontos de cada jogo são os mesmos. Uma das situações que temos de explicar aos jogadores é que o torcedor espera de um ano onde se comemora o centenário. O time precisa estar comprometido, mas não podemos aumentar a pressão que já existe”, finalizou.

Ps: durante essa mesma entrevista, Nobre disse que até procurou cinco ou seis nomes para serem técnicos do Palmeiras. Mas, Kleina era prioridade. Kleina, na hora, ficou meio constrangido.