No Palestra: Atitude Lamentável de Um PM

chamada23.gif

Na saída do Palestra na noite de quinta-feira após o jogo contra o Ipatinga, no meio de avós, pais e filhos pequenos, na saída das arquibancadas, eis que passa pelo meio do povão o diretor de futebol Gilberto Cipullo. As reivindicações começam: “Amaral não dá, né?”, “Osmar no ataque, Cipullo?”, “Manda o Edmundo pra China, não pros EUA”.

A torcida começa a subir o tom de voz, mas sem violência. Todos estavam de cabeça quente. Eis que um torcedor tenta se aproximar do dirigente palmeirense. Repito, sem violência. E então um PM, provavelmente torcedor de outro time, espirrou o spray de pimenta no meio da galera. O tumulto começou!

Minha amiga ficou perdidinha, assustada, tomando trombada por todos os lados. Agora, eu pergunto: isso era necessário? Espirrar o spray no meio de todo mundo, com crianças no colo, pessoal da terceira idade etc.? Mais um show extra-campo que nós levamos! Quero ver se aquele olhar assustado daquela garotinha, de aproximadamente três anos, no colo de seu pai, vai aparecer no estádio de novo. E será que aqueles que poderiam ser nossos avós não vão pensar duas vezes na próxima vez que quiserem ir ao Palestra Itália?

Onde quero chegar com isso? Estamos claramente em fase de mudanças na Sociedade Esportiva Palmeiras. Esse exemplo, por menor que seja, mostra que existe muita gente contra a nossa alegria, contra ver o Verdão vitorioso e o Palestra sempre cheio. Contra as nossas boas mudanças. Passando desde aqueles que tiraram as semi-finais do Paulistão do nosso estádio (se nos classificarmos), e o bandeirinha que tirou nossa classificação para as oitavas-de-final da Copa Do Brasil até esse PM que despertou ódio e susto na saída do Palestra.

Entendam, palmeirenses. Estamos lutando contra tudo e contra todos. Só nós queremos que o nosso time volte a ser campeão! Ninguém está nem aí para a Sociedade Esportiva Palmeiras, a não ser nós. Estamos no caminho certo. O foco não pode mudar. Com as mudanças da nova diretoria e um detalhe aqui, outro ali, vamos voltar a ser o grande Palmeiras. Mas Entendam: a luta é só nossa, ninguém vai nos estender a mão!