Não deu nem pro CHEIRO mesmo…

Fabiano marcou um golaço. O gol do título? Não sei dizer. Acredito que foram tivemos vários “gols do título”, mas este, marcado contra a Chapecoense, vai ficar na memória de todo palmeirense.

Foi um gol que surgiu de uma jogada ensaiada. Mais uma de várias do time que tentaram rotular como “Cucabol”, “time de uma jogada só”. E quem fez o gol foi um jogador que ninguém dava muito valor, mas que foi muito importante em todas as partidas que participou. Assim como vários outros atletas desse elenco campeão.

Claro que todos torciam também por um gol do emocionado Gabriel Jesus. O “fenômeno” Zé Roberto também merecia fazer o seu gol, o surpreendente Moisés poderia deixar a sua marca. O “pequeno gigante” Dudu quase fez o seu, de cobertura, e foi comemorar nos braços dessa torcida que o abraçou desde o início.

O jogador Dudu, da SE Palmeiras, comemora a conquista do Campeonato Brasileiro, após jogo contra a equipe da A Chapecoense F, durante partida válida pela trigésima sétima rodada, do Campeonato Brasileiro, Série A, na Arena Allianz Parque.

A verdade é que todos eles, durante essa maratona de 37 rodadas já marcaram gols importantes e ficarão para sempre eternizados na memória de quem viveu essa conquista. Nem precisa ser um gol, quem consegue se esquecer daquela bola que o Zé Roberto tirou praticamente de dentro do gol no empate com o Cruzeiro? Aquele ponto foi muito importante naquele momento que o Palmeiras era ameaçado pela ridícula “turma do cheirinho”.

E quem não se emocionou ao ver o comandante Cuca repetindo o gesto da faixa. O mesmo gesto que ele fazia lá atrás, quando comandava o ataque do Verdão ao lado do Evair Aparecido Paulino no início da “era Parmalat”. Mais de vinte anos se passaram, mas para o torcedor o sentimento continua o mesmo.

Sim, passamos por momentos muito difíceis durante esse tempo, mas jamais abandonamos esse time. Claro que você já pensou em desistir, mas esse sentimento dura muito pouco tempo. O amor que sentimos a esse clube é muito maior. Esse título é nosso.

Vencemos muito mais que Campeonato Brasileiro de 2016. Vencemos a nossa própria desconfiança, derrotamos o derrotismo dos comentaristas, esmagamos o “fantasma de 2009” e comemoramos o segundo título em dois anos de Allianz Parque. Que venha o próximo!

*****

Nos próximos posts, vamos falar sobre os personagens da conquista. Como é impossível citar todos eles apenas num post. Teremos um post exclusivo para cada um deles.

Abraço a todos!