Não crucifiquem o Paulo César de Oliveira!

Em algumas ocasiões, a vítima não pode ser vista como vítima.

Quando uma pessoa assume o risco de fazer algo como, por exemplo, dirigir embriagado, ele se torna réu, caso se envolva em um acidente de trânsito.

Vimos algo parecido nesta semana, quando foi anunciado, até antes do sorteio (algo que viola o estatuto do torcedor), a escolha do árbitro PC Oliveira para apitar o dérbi.

Art. 32.É direito do torcedor que os árbitros de cada partida sejam escolhidos mediante sorteio, dentre aqueles previamente selecionados.

§ 1 O sorteio será realizado no mínimo quarenta e oito horas antes de cada rodada, em local e data previamente definidos.

§ 2 O sorteio será aberto ao público, garantida sua ampla divulgação.

Se aos nossos atletas não faltou coragem e bravura em momento algum, os nossos dirigentes foram omissos e pusilânimes como quase todos que representaram o Palmeiras nas últimas décadas.

Ao ignorar o veto solicitado recentemente ao árbitro, e ao aceitar bovinamente a tudo que beneficiava o adversário, eles deram uma grande ajuda para que o Palmeiras fosse eliminado do Paulistão.

Por conta da suspeita sobre o juiz e o próprio sorteio, o clima antes mesmo do início da partida não nos era favorável. E o resultado em campo não poderia ser outro, apesar da nossa superioridade.

Mondo Palmeiras não vai mais criticar o árbitro, pois já o fizemos no dia do tal “sorteio”, e inclusive recebemos muitas críticas por conta disso, mas vamos cobrar que os responsáveis assumam publicamente o erro que cometeram.

Ou devemos aguardar o próximo ato de fraqueza?