Mudança da água para o vinho

Enfim o Verdão voltou ao G4, setor da tabela do Paulistão 2008 do qual nunca deveria ter saído. Com a vitória contra a Ponte Preta na última quarta-feira, conseguimos atingir a marca de 25 pontos ganhos, oriundos de sete vitórias, quatro empates e três derrotas, com 23 gols pró e 14 contra, saldo positivo de nove. Apenas três pontinhos nos separam do líder (até quando?) Guaratinguetá.

Um ponto é a distância entre nós, os Manos do Menezes (em segundo) e o Jardim Leonor (em terceiro). Por sua vez, temos um a mais do que o quinto (Ponte Preta), e dois a mais do que o sexto (Barueri) e o sétimo (Noroeste). Mas o mais divertido, aqui, é comparar o desempenho do time de Vanderlei Luxemburgo nos sete primeiros jogos com o obtido nos sete mais recentes. É impressionante.

Vamos lá, então. Na primeira metade, são apenas duas vitórias (3 a 1 no Sertãozinho e 1 a 0 no Marília), dois empates (0 a 0 contra Leão Tarja Preta Boys e 2 a 2 contra o Mirassol) e três derrotas (1 a 0 contra o Ituano, 1 a 0 contra o Noroeste e 3 a 0 contra o Guaratinguetá). Seis golzinhos a favor, oito contra, saldo negativo de menos dois.

A segunda metade: cinco vitórias (3 a 1 no Guarani, 4 a 0 no Juventus, 1 a 0 no Freguês Fiel, 5 a 2 no Bragantino e 2 a 1 na Ponte Preta) e dois empates (1 a 1 contra Rio Claro e Rio Preto), com 17 gols a favor e apenas 6 contra, saldo positivo de 11. Apesar dos dois empates contra times na zona de rebaixamento, é uma ascensão irresistível.

Fica a torcida para que possamos nos manter nesse pique até o final não só da fase de classificação, como do campeonato como um todo. Dizem os matemáticos de plantão que, para obter a classificação para a fase semifinal, é preciso ter ao menos 34 pontos. Então, precisaríamos de mais nove para garantir nossa vaga. Ou seja, mais três vitórias, nos jogos contra Muricy Sem Dente Boys, Lusa, Paulista, São Caetano e Barueri. Olha o porquinho chegando, como diria o filósofo contemporâneo Raul Bianchi.